Mercado abrirá em 1 h 35 min

Nasa acusa China de querer dominar a Lua

Chefe da Nasa acusa governo chinês de querer dominar a Lua
Chefe da Nasa acusa governo chinês de querer dominar a Lua
  • Tanto os EUA quanto a China tem missões lunares programadas para esta década;

  • China se disse contrária a uma corrida armamentista espacial;

  • Governo chinês negou a acusação, afirmando que os EUA sempre difamaram os esforços espaciais chineses.

O chefe da agência espacial dos Estados Unidos, a Nasa, afirmou que o programa espacial chinês tem intenções militares e alertou que a China pode "tomar o controle" do satélite. "Devemos estar muito preocupados com o fato de a China estar pousando na lua e dizendo: 'é nosso agora e você fica de fora'", disse o administrador da NASA, Bill Nelson, ao jornal alemão Bild em uma entrevista publicada no sábado.

Em resposta, nesta segunda-feira Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China rejeitou a afirmação de Nelson, afirmando que "os EUA constantemente construíram uma campanha de difamação contra nossos esforços espaciais normais e razoáveis no espaço sideral, e a China se opõe firmemente a tais comentários irresponsáveis". Zhao Lijian também afirmou que a China sempre promoveu a construção de um futuro compartilhado para a humanidade no espaço sideral e se opõe a qualquer tipo de corrida armamentista no espaço.

Na última década, a China vem fortalecendo seu programa de exploração espacial, com foco em estudos da Lua. Em 2013 a nação realizou seu primeiro pouso lunar não tripulado e até o final da década prevê o envio de astronautas ao satélite. O país também está planejando missões não tripuladas ao pólo sul da Lua ainda nesta década.

Por outro lado, a Nasa, através do programa Artemis, pretende voltar com as explorações lunares, enviando uma missão tripulada para orbitar o satélite em 2024, e realizando um pouso tripulado próximo ao pólo sul da Lua em 2025.