Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.851,34
    -2.535,05 (-5,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

“Não pode ficar comprando, se pode produzir aqui”, diz Bolsonaro sobre vacina

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Alan Santos/PR)

Para o presidente Jair Bolsonaro, não se pode gastar comprando vacinas quando é possível fabricar aqui no Brasil. Segundo ele, o governo deve buscar recursos para produzir uma vacina nacional.

“Talento não falta no Brasil. Nós temos aqui gente [que] cada vez mais nos surpreende em todas as áreas. Um até o Marcos Pontes [ministro da Ciência e Tecnologia] que está quase acertado aí. 300 milhões é grana pra burro, não temos orçamento, estamos acertando com uma outra área aí, não vai ser do BNDES, não, fica tranquilo, [para] fazer a nossa vacina”, afirmou.

Leia também

“Quem diria, né, fazer a nossa vacina. Porque a vacina que está aí pessoal sabe que a data de validade está em torno de seis meses e não pode ficar comprando isso, gastando bastante se pode produzir aqui”, disse.

O Brasil está vacinando atualmente contra covid-19 com a Coronavac, vinda da China, e a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca oriunda da Índia.

O Instituto Butatan ainda aguarda autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para utilizar as doses produzidas em São Paulo.

A Fiocruz tinha a previsão de que o IFA já estivesse disponível no Brasil no último dia 12, mas ainda aguarda informações da AstraZeneca e das autoridades regulatórias da China, que têm protocolos específicos para exportação da carga, para confirmar a chegada dos primeiros insumos para a vacina.

As declarações de Bolsonaro foram dadas em um discurso em cerimônia com esportistas fechada à imprensa, mas transmitida pelos filhos do chefe do Executivo em suas redes sociais.