Mercado fechado

Naja do DF? Saiba como criar cobras LEGALMENTE em casa

João Conrado Kneipp
·7 minuto de leitura
Confira o que é preciso para criar uma cobra seguindo as legislações nacionais. (Foto: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília)
Confira o que é preciso para criar uma cobra seguindo as legislações nacionais. (Foto: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília)

O caso da “Naja do DF” reacendeu a discussão sobre os riscos legais e naturais de se ter uma cobra como animal de estimação em casa. Na terça passada (9), o estudante de veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul foi picado por uma cobra naja que criava ilegalmente em casa, no Distrito Federal. Ele chegou a ficar hospitalizado em coma induzido na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, mas teve alta nesta segunda-feira.

Investigações da Polícia Civil em parceria com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) apontaram a suspeita de tráfico de animais silvestres. Pedro, que é apontado como dono de outras 16 serpentes achadas em outro sítio, foi multado. Ele também é investigado, junto com outras 6 pessoas, por suspeita de envolvimento no tráfico de animais sob indícios de que as cobras eram criadas ilegalmente em cativeiro.

Leia também

O episódio da “Naja do DF” - como popularmente vem sendo tratado o caso nas redes sociais - foi considerado emblemático para a conscientização sobre a criação ilegal de animais silvestres pelo próprio presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim.

“A Naja foi uma salvadora importantíssima para esse assunto sério que é o tráfico de animais silvestres. Animal silvestre não é pet, e esse o caso da naja é emblemático porque tem criado uma conscientização acerca do tema, inclusive com devoluções de animais silvestres criados ilegalmente em casa”, explicou Bim, em entrevista ao Yahoo Notícias.

COMO TER COBRA DE ESTIMAÇÃO EM CASA?

  • Cuidados na hora da compra

Assim como outros répteis, como a iguana, a compra de cobras de estimação deve ser feita somente em criadores legalizados e com registros no Ibama. Esses locais, segundo Bim, passam por fiscalizações constantes do órgão e garantem a aquisição de um animal nascido e criado em um cativeiro responsável.

A criação de cobras como animais de estimação em casa é autorizado pelo Ibama desde 1997. Contudo, apenas a posse de espécies não-peçonhentas - que não possuem veneno - é permitida. A importação de espécies exóticas, que não são encontradas no Brasil - como o caso da Naja do DF - também depende de uma autorização expressa do Ibama.

“Dentro da legislação, temos restrições: admitimos a posse, a cautela, e a guarda da cobra como animal de estimação desde que ela seja não-peçonhenta. As peçonhentas, que possuem veneno para inocular, são proibidas para se criar como pet, e são autorizadas a entrar no país somente para fins científicos”, explica o presidente do Ibama.

Além disso, elas vêm com um microchip, que é usado pelos órgãos de controle na fiscalização, e uma nota fiscal de compra. “É preciso garantir que o exemplar adquirido é o mesmo que você tenha em casa, para evitar que a pessoa compre um animal legalmente e eventualmente troque por outro no lugar. Atualmente, existem apenas 6 criadores legais no Brasil de onde se pode comprar uma serpente”, complementa ele.

  • Ambiente dentro de casa

Não existe, segundo o presidente do Ibama, uma norma que regule qual o tamanho da área a ser destinado ao animal. Eduardo Bim alerta que é preciso observar o bem-estar da serpente no que se refere, principalmente, à mobilidade.

“A área tem que ter um tamanho mínimo que possibilite uma mobilidade sem restrições à serpente. Um espaço pequeno vai gerar um estresse no animal, e consequentemente terá outras sequelas como desnutrição, desidratação, perda de peso e uma irritabilidade excessiva, o que pode aumentar o risco de mordidas”, explica.

O tamanho da área depende da espécie que deseja criar em casa. Uma Cobra do Milho (Pantherophis guttatus) ou uma Falsa Coral (Lampropeltis triangulum), que não chegam a atingir 2 metros na fase adulta, podem, por exemplo, serem criadas em um terrário - um aquário climatizado adaptado com um cenário que se assemelhe à natureza, com troncos de árvores, pedras e algumas plantas.

“Já outras espécies, como uma jiboia por exemplo, vão precisar de um espaço maior. Tem criadores que disponibilizam um cômodo na casa destinado só para a criação”, exemplifica Bim.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

  • Temperatura e umidade

Além do espaço, outra preocupação é com relação à temperatura e umidade do ambiente através de acessórios como termômetro e higrômetro.

Entre esses dois fatores, o que mais carece de atenção é a temperatura uma vez que são seres ectotérmicos, que precisam de fontes externas de calor para elevar e manter a sua temperatura corporal constante, e assim regular seu metabolismo de uma forma saudável. Algumas cobras, inclusive, podem precisar de lâmpadas UVB.

A temperatura e a umidade ideal variam entre as espécies e, por isso, é necessário conhecer as características do habitat da cobra na hora de formar o terrário.

  • Alimentação

Completamente carnívoras, o primeiro ponto há destacar é que não há “ração” para cobras. Elas se alimentam principalmente de aves ou de pequenos mamíferos, com preferência para roedores.

Na maioria dos casos, é recomendado que a alimentação seja dada viva à serpente para simular mais fielmente o habitat natural do animal, onde ele caça a presa. No entanto já existem no mercado ratos e outros pequenos animais congelados sendo comercializados nas lojas especializadas.

A quantidade e a frequência vão depender da espécie da cobra, podendo ser com intervalos de uma semana, 15 dias ou até mais.

QUAIS COBRAS POSSO TER EM CASA?

Antes de listar algumas espécies de serpentes que você pode ter legalmente em casa, é preciso destacar os riscos - legais e ambientais - de se criar uma espécie não autorizada no país.

“São dois os empecilhos que essa criação ilegal pode provocar. O primeiro deles é a sanção legal. Caso você crie uma espécie não autorizada no país, seja por ter peçonha ou por não ter autorização - os dois, no caso da Naja do DF -, você será autuado e preso por crime ambiental, e poderá ser multado pelos órgãos ambientais federal, estadual e municipal”, explica Eduardo Bim.

O segundo ponto, segundo o presidente do Ibama, é o possível desequilíbrio ecológico que essa serpente não endêmica do Brasil poderá ocasionar caso vá para a natureza. “Essa espécie exótica se for para natureza ela não terá um predador natural, o que traria um desequilíbrio. Como não haveria ‘barreiras naturais’, essa espécie chegaria por cima da cadeia alimentar no habitat e provocaria uma desestabilização violenta na região”.

O Yahoo Notícias separou 5 espécies mais indicadas:

- Cobra do Milho (Pantherophis guttatus)

Eastern Corn Snake (Pantherophis guttatus), close up
Eastern Corn Snake (Pantherophis guttatus), close up

Umas das mais populares para estimação, ela é considerada dócil e de fácil manuseio. Atrai pela grande variedade de coras e não costuma passar de 120 cm na fase adulta.

- Falsa Coral ou Cobra do Leite (Lampropeltis triangulum)

Colubridae.
Colubridae.

Ela é dócil, mas de difícil manuseio por conta de sua lisura. É ativa no período noturno e mais reclusa nos momentos de sol.

- Gopher (Pituophis catenifer)

The Pacific gopher snake is a subspecies of large nonvenomous colubrid snake native to the western coast of the United States.
The Pacific gopher snake is a subspecies of large nonvenomous colubrid snake native to the western coast of the United States.

Atrai pelos tons variando de amarelo ao marrom escuro, com manchas pretas e castanhas. Na fase adulta, pode atingir o tamanho de mais de 2 metros.

– Píton Real (Python regius)

Closeup of a african coiled royal or ball python snake on a white background.
Closeup of a african coiled royal or ball python snake on a white background.

Entre as pítons, essa espécia é uma das menores e mais tímidas. No entanto, é uma das mais longevas e pode sobreviver por 30 anos e suportar grandes períodos sem alimentação.

– Jiboia (Boa constrictor)

Close up of Boa constrictor imperator - nominal Colombia - colombian redtail boas, females
Close up of Boa constrictor imperator - nominal Colombia - colombian redtail boas, females

Considerada uma das cobras mais emblemáticas do país, a jiboia precisa de um espaço considerável no criadouro uma vez que podem chegar a 4 metros na fase adulta. Possui hábitos noturnos e é preciso ficar atento no manuseio pois sua mordida é muito dolorosa em razão das presas.