Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    54.671,95
    -7.592,44 (-12,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Na Grimper, Sylvio Castro aposta em commodities e inflação maior

Vinícius Andrade e Patricia Xavier
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Grimper Capital, gestora de recursos criada por veteranos da unidade de private banking do Credit Suisse no Brasil, está apostando em ações de empresas produtoras de commodities e na alta de juros, à medida que a economia global se recupera da pandemia de coronavírus.

Sylvio Castro, ex-diretor de investimentos da unidade de gestão de fortunas brasileiras do banco suiço, é um dos fundadores da Grimper, que tem sede em São Paulo. A empresa tem uma equipe de 13 pessoas e capacidade inicial para gerir cerca de R$ 5 bilhões, segundo Castro.

Com a visão de que fortes estímulos e a redução de restrições de mobilidade social vão pressionar a inflação para cima, a gestora possui posições tomadas em juros globais, especialmente nos Treasuries de 10 anos. A Grimper também gosta de ações de commodities em meio ao cenário de demanda aquecida, favorecendo Vale e Suzano no Brasil e comprando índices setoriais no exterior.

“Há vários drivers que empurram a inflação para acelerar no curto prazo, com as pessoas podendo voltar às ruas e uma combinação de estímulo monetário e fiscal muito forte”, disse Castro, em entrevista. “Esse tema de inflação e commodities é o tema em que temos a maior convicção.”

A Grimper também está comprada em inflação implícita no Brasil. No mercado de ações, a gestora vê oportunidades pontuais em nomes como Mercado Livre, Magazine Luiza e Twilio -- plataforma de comunicação na nuvem e uma das queridinhas dos investidores em meio à pandemia.

A gestora lançou o multimercado macro Blanc no fim de fevereiro e o long biased Meru no início deste mês.

Castro diz que o Blanc está praticamente zerado em bolsa no Brasil, com quase toda sua exposição em ações no mercado internacional, à medida que o país enfrenta o pior momento da pandemia e lida com incerteza política crescente.

No início de março, a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Lava Jato lançou dúvidas sobre uma possível escalada populista por parte do presidente Jair Bolsonaro, o que pode dificultar o caminho das reformas econômicas.

“Até hoje não conseguimos sentir no presidente essa convição liberal que foi repetida à exaustão durante a campanha”, disse Castro. “O ruído fiscal e político pode antecipar discussões que provavelmente só começariam no ano que vem.”

Castro começou a Grimper ao lado de Andre Szasz e João Paulo Freitas, depois que o trio saiu do Credit Suisse no ano passado.

Eles são parte de um movimento mais amplo de executivos que têm deixado carreiras de décadas em grandes bancos para abrir seu próprio negócio na maior economia da América Latina. Os fundos multimercados locais tiveram captação líquida de R$ 103 bilhões no ano passado, a maior entrada líquida anual pelo menos desde 2006, de acordo com dados da Anbima.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.