Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    56.594,24
    -2.207,18 (-3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Na crise, 25% dos brasileiros não vão presentear no Dia das Mães, diz pesquisa

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meio à crise, quase 25% dos brasileiros não pretendem dar presentes no Dia das Mães de 2021 e 17% ainda não sabem se vão presentear, segundo pesquisa da ACSP (Associação Comercial de São Paulo). Entre os que vão presentear, os reflexos do isolamento social e da crise devem aparecer nas compras deste ano, com preferência pelo parcelado e uma nova tendência de demanda por produtos de home office e delivery de comida. Os itens mais buscados ainda são as roupas, calçados e adereços, com 65% das intenções de compra. Na sequência, a preferência é por perfumes e cosméticos (54%), pouco acima dos tradicionais móveis e eletrodomésticos (50%). Com 20% das intenções de compra estão os aparelhos como celular e computador, uma demanda que pode ter sido influenciada pelo home office e a quarentena, segundo a ACSP. Cestas de café da manhã e delivery de comida também estão na lista. Segundo a pesquisa, que ouviu 1.554 pessoas no país, o parcelado vai ser a forma de pagamento preferida para itens mais caros.