Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.774,93
    -707,70 (-1,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Na CPI da Covid, Queiroga anuncia assinatura de novo contrato com a Pfizer

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quinta-feira na CPI da Covid no Senado a assinatura do novo contrato para aquisição de mais 100 milhões de doses da Pfizer. A estratégia é reduzir pressão na comissão e mostrar pontos positivos do trabalho da pasta.

Nos últimos dias, equipes do Ministério da Saúde se apressam em acertar os ajustes finais do novo contrato. O cronograma adicional de 100 milhões de doses ainda em 2021 é considerado um trunfo para Queiroga perante ao colegiado.

O valor da dose, nesta segunda compra, deve ficar em US$ 12 — 20% mais caro que na primeira aquisição, em que custou US$ 10.

O Brasil já tem um contrato, que foi firmado em março, para a disponibilização de 100 milhões de doses ao país até o final do terceiro trimestre de 2021. Um primeiro lote com 1 milhão de vacinas da Pfizer/BioNTech chegou ao Brasil na quinta-feira passada, dia 29. Outras 628 mil doses foram entregues ontem.