Mercado abrirá em 3 h 29 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,02
    -0,26 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.707,30
    -8,50 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    48.930,58
    -1.712,47 (-3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,01
    -5,20 (-0,53%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.623,41
    -52,06 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.621,25
    -60,50 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7699
    -0,0088 (-0,13%)
     

Número de passageiros de companhias aéreas caiu 60% em 2020, aponta agência da ONU

·1 minuto de leitura
(Agosto/2020) Avião pousa em Los Angeles

A pandemia de Covid-19 fez o número de passageiros das companhias aéreas cair cerca de 60% no mundo em 2020, e as perspectivas a curto prazo se mantêm sombrias, apontou nesta sexta-feira a agência especializada das Nações Unidas.

Com restrições de viagem em todo o mundo para tentar conter a pandemia, o número de passageiros, que atingiu 1,8 bilhão em 2020, retrocedeu aos níveis de 2003, longe dos 4,5 bilhões de 2019, citou a Organização de Aviação Civil Internacional (Oaci) em comunicado. "A queda na demanda" continuará no presente trimestre, podendo se agravar, apontou a agência, com sede em Montreal.

Em 2020, a queda no número de passageiros foi de 50% em voos nacionais e 74% em voos internacionais, que transportaram 1,4 bilhão de pessoas a menos do que em 2019. As empresas sofreram um prejuízo acumulado de 370 bilhões de dólares.

Os aeroportos e provedores de serviços de navegação aérea, por sua vez, tiveram prejuízos de 115 bilhões e 13 bilhões, respectivamente. Essa situação, segundo a Oaci, "coloca em dúvida a viabilidade financeira da indústria e ameaça milhões de postos de trabalho em todo o mundo". O mercado turístico mundial também foi severamente afetado, uma vez que metade dos turistas estão acostumados a pegar um avião para chegar a seu destino.

A recuperação da indústria, possível no segundo trimestre, dependerá do êxito da vacinação, segundo a agência. Vários governos se comprometeram a ajudar as empresas.

A Oaci observou que os voos domésticos resistiram mais às restrições do que os internacionais, principalmente em China e Rússia, onde o número de passageiros internos voltou aos níveis anteriores à pandemia.

jl/et/rle/tly/rsr/lb