Mercado abrirá em 8 h 38 min

Número de mortos no acidente em ônibus de Minas Gerais sobe para 18

O Globo
·2 minuto de leitura
Reprodução

O número de mortos no acidente de ônibus em João Monlevade, na BR-381, subiu para 18. Um homem de 59 anos, que estava internado no Hospital Santa Margarida, morreu na manhã deste sábado. As informações são do G1, que apurou que o coletivo já foi autuado três vezes.

Segundo a assessoria da unidade de saúde, desde a tarde desta sexta-feira, ele estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). O homem era natural da cidade de São Paulo.

De acordo com o último balanço da Secretaria de Estado de Governo, 23 pessoas ficaram feridas e outros três passageiros não precisaram de atendimento médico.

A suspeita da Polícia Rodoviária Federal (PRF) é de que o veículo tenha perdido o freio. Três passageiros disseram que ouviram o motorista do veículo gritar que o ônibus havia perdido o freio. O motorista pulou do ônibus e fugiu, segundo relatos de testemunhas aos policiais.— Ainda não se sabe exatamente a causa do acidente. Há duas versões. Algumas testemunhas relataram que esse ônibus encontrava-se subindo, porque se trata de um trecho de aclive, e teria perdido o tracionamento dele, voltado de ré, e que acabou batendo na estrutura do guard rail, a estrutura de proteção lateral dessa ponte, e caiu de uma altura de 15 metros. Outra versão diz que, antes dessa situação de perda de tração acontecer, esse ônibus teria colidido com alguns veículos que estavam retidos, incluindo um caminhão — informou o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG).A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou inquérito para apurar as causas do acidente. Na manhã deste sábado, os corpos estavam no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte aguardando a liberação das famílias.Transporte irregular O mesmo ônibus, da Localima Turismo, já havia sido autuado três vezes, em 2019, por transporte irregular de passageiros. Além disso, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) o veículo não tinha autorização."A empresa está cadastrada na ANTT e tem um Termo de Autorização para prestação de serviço regular concedido pela Justiça, por liminar. No entanto, o veículo em questão não estava habilitado para prestar o serviço de transporte de passageiros", disse o órgão.