Mercado fechado

Espanha registra mais de mil mortes por coronavírus; Portugal tem mil casos confirmados

Valor

Cifra representa alta de 30% em relação ao boletim anterior, mas ritmo de crescimento diário de casos de infecção caiu Com 235 mortes registradas nas últimas 24 horas, o número de vítimas do novo coronavírus na Espanha chegou a 1.002, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde do país nesta sexta-feira.

As cifras representam um aumento de 30% na comparação com o boletim de ontem. Por outro lado, o ritmo de crescimento diário de casos caiu para 16,5% - 2.883 pessoas diagnosticadas -, taxa menor que a alta de 25% registrada na quinta-feira. No total, há 19.980 casos positivos da covid-19 no país.

Alemanha tem quase 3 mil novos casos confirmados de coronavírus em 24h

Coreia do Sul e Hong Kong tentam evitar segunda onda de contágios do coronavírus

Takeda planeja lançar tratamento para covid-19 ainda em 2020

Pedestre caminha por uma rua deserta na vila de Haro, no norte da Espanha

Alvaro Barrientos/AP

O diretor do Centro de Alertas e Emergências Sanitárias da Espanha, Fernando Simón, pediu cautela em relação aos números e alertou sobre a necessidade de manter as medidas de isolamento decretadas pelo primeiro-ministro Pedro Sánchez.

Porta-vozes da Polícia Nacional e da Guarda Civil disseram que grande parte da população está cumprindo a determinação do governo. No entanto, 75 pessoas foram presas ontem, uma alta em relação aos últimos dias.

Em Portugal, por sua vez, o número de casos confirmados chegou a 1.020 nesta sexta-feira, com uma alta de quase 30% (235) nas últimas 24 horas. Até o momento, a covid-19 fez seis vítimas no país.

O aumento é registrado um dia depois de o país ter entrado em estado de emergência para ampliar o combate ao vírus. O comércio foi limitado e só supermercados, farmácias, postos de gasolina e bancos estão funcionando. Pessoas com mais de 70 anos ou com a saúde vulnerável receberam a recomendação para só sair de casa em ocasiões essenciais.

O primeiro-ministro português, António Costa, descarta, por ora, decretar quarentena em Portugal. No entanto, pessoas com os sintomas ou que estejam sendo monitoradas pelas autoridades de saúde podem ser obrigadas a ficar em quarentena.