Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.769,70
    -572,40 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Número de mortes aumenta em Gaza e Israel em piores hostilidades em anos

·2 minuto de leitura
Pessoas rezam em funeral de palestino morto em Gaza em meio à violência entre israelenses e palestinos

Por Nidal al-Mughrabi e Jeffrey Heller

GAZA/JERUSALÉM (Reuters) - Israel realizou centenas de ataques aéreos em Gaza nesta quarta-feira, e militantes palestinos dispararam levas de foguetes contra Tel Aviv e Beersheba, uma cidade do sul, em meio às piores hostilidades em anos.

Ao menos 49 pessoas foram mortas em Gaza desde que a violência se intensificou na segunda-feira, de acordo com o Ministério da Saúde do enclave. Seis pessoas foram mortas em Israel, disseram autoridades médicas israelenses.

Uma fonte palestina disse que os esforços em direção a uma trégua feitos por Egito, Catar e pela Organização das Nações Unidas (ONU) continuavam, mas sem avanços até o momento. O enviado da ONU para a paz no Oriente Médio, Tor Wennesland, disse que as Nações Unidas estão trabalhando com todos as partes para restaurar a calma.

Em Gaza, um edifício residencial de vários andares desmoronou depois de Israel alertar seus ocupantes com antecedência para esvaziá-lo e outro ficou seriamente danificado depois de serem atingidos pelos ataques aéreos.

Israel disse que seus aviões de guerra visaram e mataram vários dos líderes de inteligência do grupo islâmico Hamas nesta quarta-feira. Outros ataques atingiram o que os militares disseram ser locais de lançamento de foguetes, escritórios do Hamas e casas de líderes do Hamas.

A ofensiva mais intensa entre Israel e Hamas desde uma guerra de 2014 no enclave controlado pelo grupo islâmico aumenta o temor internacional de que a situação saia de controle.

"Israel enlouqueceu", disse um homem em uma rua de Gaza para a qual as pessoas fugiram de suas casas ao som de explosões.

Muitos israelenses também passaram a noite em claro, já que sirenes tocaram às 3h em Tel Aviv para alertar para várias ondas de ataques de foguetes no coração de Israel.

"As crianças escaparam do coronavírus, e agora um novo trauma", disse uma israelense da cidade litorânea de Ashkelon em imagens transmitidas pela televisão Channel 11.

As casas dos moradores de Gaza tremeram e o céu ficou claro por causa dos ataques de Israel, os foguetes em disparada e os mísseis israelenses.

Os israelenses correram para abrigos ou se deitaram no chão em comunidades situadas mais de 70 quilômetros ao norte do litoral de Gaza e no sul de Israel enquanto explosões eram ouvidas e mísseis de interceptação atravessavam o céu.

(Por Nidal al-Mughrabi, Dan Williams, Ari Rabinovitch e Rami Ayyub; reportagem adicional de Stephanie Nebehay em Genebra, Nandita Bose e Steve Holland em Washington e Michelle Nichols em Nova York e Stephen Farrell em Jerusalém)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES