Mercado fechará em 31 mins
  • BOVESPA

    111.143,97
    -2.286,57 (-2,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.683,74
    +119,47 (+0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,49
    -2,38 (-3,02%)
     
  • OURO

    1.941,60
    -3,70 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.000,04
    -149,34 (-0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,22
    +277,54 (+114,37%)
     
  • S&P500

    4.057,51
    -19,09 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    33.764,40
    -321,64 (-0,94%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    -10,59 (-0,14%)
     
  • HANG SENG

    22.072,18
    +229,85 (+1,05%)
     
  • NIKKEI

    27.346,88
    +19,77 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.125,25
    -26,75 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5529
    +0,0373 (+0,68%)
     

Número de casos de chikungunya cresce em 2022, mas zika e dengue caem

Segundo o mais recente Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, os casos de chikungunya aumentaram em 2022, em comparação com o último levantamento, realizado em 2019. O maior número de ocorrências vem de Fortaleza (Ceará), com 760 casos a cada 100 mil habitantes.

O levantamento traz a confirmação de 93 mortes por chikungunya, 40% delas ocorridas no Ceará. O Ministério da Saúde ressalta, ainda, que entre janeiro e dezembro deste ano, houve um aumento de um terço dos casos da doença, em comparação com 2019. Com isso em mente, a Secretaria de Saúde de Fortaleza planeja inspecionar 400 mil imóveis até fevereiro do ano que vem.

Em contrapartida, o relatório aponta que as outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue e zika) diminuíram em 2022, em comparação com o período pré-pandemia. Comparando com os dados de 2019, o número de casos caiu cerca de 8%. A maior quantidade de casos se concentra em Goiás e Rio Grande do Norte.

Qual a diferença entre chikungunya e dengue?

Casos de chikungunya aumentam e preocupam especialistas (Imagem: EdVal/Envato)
Casos de chikungunya aumentam e preocupam especialistas (Imagem: EdVal/Envato)

A infecção por Chikungunya começa com febre, dor de cabeça, mal estar, dores pelo corpo e nas juntas (joelhos, cotovelos, tornozelos, etc), e pode apresentar, em alguns casos, manchas vermelhas ou bolhas pelo corpo. O quadro agudo dura até 15 dias, mas a cura é espontânea.

Em entrevista anterior ao Canaltech, especialistas esclareceram a diferença entre dengue e chikungunya: acontece que a segunda é muito mais intensa, e quem costuma cuidar é reumatologista, porque a pessoa acha que é alguma doença de articulação.

O problema prático da chikungunya é que em grande parte dos casos, não há cura em curto prazo. Enquanto a dengue fica uma semana e passa, o paciente diagnosticado com chikungunya pode ficar com dor por muitos meses.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: