Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.426,00
    -522,45 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.831,95
    -213,15 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.861,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    54.629,12
    +665,88 (+1,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,14
    -65,80 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.704,54
    +15,87 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.870,95
    -60,10 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.255,96
    -35,24 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    25.319,72
    -330,36 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    29.683,09
    +84,43 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    16.494,75
    +13,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3313
    +0,0125 (+0,20%)
     

Núcleo dos preços ao consumidor no Japão ampliam alta com salto de combustíveis

·1 min de leitura
Loja em Okinawa, Japão

Por Daniel Leussink

TÓQUIO (Reuters) - O núcleo dos preços ao consumidor do Japão subiu pelo segundo mês seguido em outubro, uma vez que os custos dos combustíveis aceleraram no ritmo mais rápido em mais de uma década e a pressão da escassez de matérias-primas gradualmente chegou aos consumidores.

A inflação ao consumidor deve acelerar nos próximos meses devido aos custos mais elevados dos combustíveis, embora qualquer aumento de preço no país deva ser moderado em relação a outras economias avançadas, já que o fraco crescimento dos salários limita as empresas na hora de repassar os aumentos.

O núcleo do índice de preços ao consumidor, que exclui os preços voláteis dos alimentos frescos mas inclui combustíveis, subiu 0,1% em outubro sobre o ano anterior, mostraram dados do governo nesta sexta-feira.

Isso igualou a expectativa em pesquisa da Reuters, depois de alta similar em setembro, que foi o primeiro avanço desde março do ano passado.

Os preços da energia dispararam 11,3% na comparação anual, registrando a maior alta desde setembro de 2008, graças principalmente ao salto de 21,4% dos combustíveis, maior desde agosto de 2008.

Os dados estarão entre os fatores que o banco central vai avaliar na última reunião de política monetária do ano, marcada para meados do próximo mês.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos