Mercado fechará em 5 h 25 min

Não vejo home office permanente como uma grande revolução, diz Rial

Talita Moreira

Presidente do Santander Brasil informa que 60% dos funcionários administrativos já voltaram ao trabalho presencial e defende que decisão permanente deve ser feita por cada área O presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, afirmou que 60% dos funcionários da área administrativa já voltaram ao trabalho presencial nas últimas semanas e que as agências estão operando com “normalidade”, apesar do horário ainda restrito.

Segundo ele, as pessoas que se julgam grupo de risco permanecem em casa. Outras ainda estão em trabalho remoto para que os escritórios cumpram o distanciamento necessário.

Rial disse que as discussões sobre um home office permanente pertencem a cada área. “Não tem resposta que se aplique a todos’, afirmou o executivo em entrevista a jornalistas. “Não vejo isso como uma grande revolução. Não é a panaceia nem algo tão transformador como se imagina.”

O executivo afirmou que grande parte dos desligamentos realizados pelo Santander nas últimas semanas é de funcionários terceirizados. O banco encerrou junho com 46.348 colaboradores, uma redução de 844 pessoas. “Nos próprios, a gente fez o que sempre faz, que é a busca por melhor produtividade”, disse.

Houve também o fechamento de 50 agências entre março e junho, levando o total para 2.209. De acordo com Rial, não há uma “agenda” de fechamentos de unidades físicas, mas ajustes onde há proximidade.

Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil, sobre o trabalho remoto: "Não é algo tão transformador como se imagina"

Valor