Mercado abrirá em 2 h 56 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,07
    +1,58 (+2,27%)
     
  • OURO

    1.783,70
    +4,20 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    51.317,13
    +3.045,14 (+6,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.329,69
    +69,53 (+5,52%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.314,99
    +82,71 (+1,14%)
     
  • HANG SENG

    23.983,66
    +634,28 (+2,72%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.080,00
    +237,25 (+1,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4259
    +0,0023 (+0,04%)
     

Não me sinto velha, diz rainha Elizabeth, de 95 anos, ao recusar prêmio para idosos

·1 min de leitura
Rainha britânica Elizabeth durante cerimônia em Windsor, no sul da Inglaterra

LONDRES (Reuters) - A rainha britânica Elizabeth, que aos 95 anos já reina há quase sete décadas, disse que se sente jovem de espírito demais para receber o título de "Velhinha do Ano", revelou um assessor.

Os organizadores do prêmio anual, cujos homenageados anteriores incluem atores ganhadores do Oscar, laureados do Nobel e a própria mãe da rainha, que morreu com 101 anos em 2002, abordaram a monarca para ver se ela cogitaria aceitar a homenagem.

Mas Gyles Brandreth, presidente dos prêmios concedidos pela Oldie Magazine, disse que recebeu uma "carta adorável" na qual Elizabeth enviou seus votos mais calorosos, mas declinou a oferta.

"Sua Majestade acredita que a pessoa é tão velha quanto se sente, e portanto a rainha não acredita que cumpre os critérios relevantes para poder aceitar e espera que você encontre um destinatário mais merecedor", disse a carta de Tom Laing-Baker, secretário particular assistente da monarca.

Elizabeth segue os passos do falecido marido, príncipe Philip, que morreu em abril aos 99 anos. Uma década atrás, ele rejeitou a chance de receber o prêmio, que há 29 anos celebra as contribuições da geração mais velha à vida pública.

"Não há nada melhor para o moral do que ser lembrado de que os anos estão passando --cada vez mais rápido-- e que pedaços estão começando a se soltar da antiga moldura", disse Philip, de acordo com Brandreth. "Mas é bom ser lembrado, seja como for."

"Vida longa à rainha! Talvez, no futuro, sondemos Sua Majestade mais uma vez", escreveu Brandreth no site da revista.

(Por Michael Holden)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos