Mercado fechará em 6 h 17 min
  • BOVESPA

    122.865,03
    -711,53 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,26
    -2,30 (-3,26%)
     
  • OURO

    1.834,90
    +20,80 (+1,15%)
     
  • BTC-USD

    39.155,70
    +642,32 (+1,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,43
    +33,66 (+3,63%)
     
  • S&P500

    4.407,56
    -15,59 (-0,35%)
     
  • DOW JONES

    34.913,15
    -203,25 (-0,58%)
     
  • FTSE

    7.118,70
    +12,98 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.048,50
    +2,25 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1530
    -0,0125 (-0,20%)
     

Não reaja com exagero ao salto temporário da inflação, diz presidente do BC britânico

·1 minuto de leitura
Presidente do banco central britânico, Andrew Bailey

Por Andy Bruce e William Schomberg

LONDRES (Reuters) - O presidente do banco central britânico, Andrew Bailey, disse nesta quinta-feira que é importante não reagir exageradamente a um aumento da inflação que provavelmente será temporário durante a recuperação econômica britânica da crise da Covid-19.

Ecoando a mensagem da reunião de política monetária de junho do Banco da Inglaterra na semana passada, Bailey disse que as razões pelas quais o banco central acredita que a inflação não será persistente são "bem fundamentadas".

"É importante não reagir exageradamente a um crescimento e inflação fortes temporários, para garantir que a recuperação não seja prejudicada por um aperto precoce nas condições monetárias", disse ele em discurso anual da Mansion House aos líderes da indústria de serviços financeiros.

Bailey acrescentou que o banco estará atento a sinais de pressões inflacionárias mais persistentes.

"E se virmos esses sinais, estamos preparados para responder com as ferramentas da política monetária", disse ele.

A inflação dos preços ao consumidor britânico saltou para 2,1% em maio, ultrapassando a meta de 2% do banco central mais cedo do que o previsto pelo banco.

(Por Andy Bruce)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos