Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    62.103,45
    +2.645,66 (+4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Não queremos moeda digital sendo disruptiva para balanço de bancos, diz Campos Neto

·1 minuto de leitura
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ressaltou nesta quinta-feira que a autarquia está avançando no tema de moeda digital, mas com cuidado para o processo não ser disruptivo para as instituições financeiras.

"Temos avançado, temos muitas coisas a resolver para assegurar que a moeda digital não seja disruptiva para os balanços dos bancos", afirmou ele em conferência virtual promovida pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS).

Durante sua participação, o presidente do BC frisou que o open finance no Brasil será "muito inclusivo", com muitos produtos diferentes sendo colocados na plataforma, incluindo planos de saúde.

O open finance--ou sistema financeiro aberto-- vai abrir espaço para a possibilidade de clientes de produtos e serviços compartilharem suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo BC. Eles também vão poder movimentar suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas, e não apenas pelo aplicativo ou site do banco.

De acordo com Campos Neto, a mensagem final, no front da inovação e tecnologia, é que o BC quer garantir que não haja produção de dados que se desenvolva de tal forma que, no futuro, o sistema financeiro fique sem competitividade.

(Por Marcela Ayres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos