Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.994,19
    +465,22 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,01
    -1,66 (-2,65%)
     
  • OURO

    1.795,00
    +16,60 (+0,93%)
     
  • BTC-USD

    55.654,17
    -380,33 (-0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.287,16
    +24,20 (+1,92%)
     
  • S&P500

    4.170,31
    +35,37 (+0,86%)
     
  • DOW JONES

    34.136,87
    +315,57 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.879,25
    +85,00 (+0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7022
    -0,0003 (-0,00%)
     

Não desistam do Brasil, diz Rodrigo Pacheco em evento do FMI

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  31-03-2021 - Rodrigo Pacheco. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 31-03-2021 - Rodrigo Pacheco. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Nesta segunda-feira (5), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pediu que as expectativas positivas em relação ao Brasil não sejam abandonadas.

O senador participou de um encontro que o Itaú organiza paralelamente a evento do FMI (Fundo Monetário Internacional) chamado "Spring Meetings". O encontro promovido pelo banco muitas vezes recebe os mesmos participantes do evento do FMI. ​

"Faço um breve registro a todos aqueles do Brasil e fora do Brasil que enxergam o nosso país como um país de boas expectativas para o futuro que não desistam dessa expectativa", disse Pacheco.

"Gostaria de fazer um balanço muito importante do que foi a estrutura do Brasil nos últimos cinco anos, o tempo que estou na política, quatro anos como deputado federal e agora dois anos e três meses como senador e hoje presidente do Senado, o quanto houve de melhora no ambiente brasileiro proporcionado pelo Congresso e pelo governo federal", continuou.

"Fizemos nesse período de cinco anos uma substancial reforma trabalhista, que mudou significativamente as relações de trabalho entre empregador e empregado, somada à reforma da CLT também aprovamos uma lei de terceirização", completou.

Pacheco também listou as aprovações da reforma da Previdência, da reforma política (em 2017), além de projetos como o da autonomia do Banco Central e o marco do saneamento básico.