Mercado fechado

'Não dá, em um governo liberal, o BNDES virar dono das aéreas', diz Maia sobre socorro proposto ao setor

MARIANA CARNEIRO
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 25.03.2020: O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fala ao telefone no salão verde da câmara, que está vazio por conta por conta do esvaziamento do congresso na tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O socorro que está sendo desenhado pelo BNDES para as empresas aéreas foi alvo de críticas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nesta quinta (2).

Em live com investidores e analistas, organizada pelo Banco Santander, Maia disse que está ouvindo queixas sobre o auxílio.

"Do jeito que o BNDES quer emprestar, ele vai virar dono de todas as companhias aéreas", disse Maia.

"Não dá, em um governo liberal, o BNDES caminhar numa linha que me parece, pela crítica que estou ouvindo, acabar sendo dono das aéreas".

O BNDES ainda não divulgou como será o pacote de socorro às empresas do setor, mas o presidente Gustavo Montezano adiantou, no último domingo (29), que o banco estuda comprar debêntures (títulos de dívida privada) conversíveis em participação nas companhias.