Mercado abrirá em 2 h 23 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,19
    +0,64 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.790,80
    +30,90 (+1,76%)
     
  • BTC-USD

    17.096,35
    +226,87 (+1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,71
    +4,01 (+1,00%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.586,49
    +13,44 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.003,25
    -39,00 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4083
    +0,0118 (+0,22%)
     

'Não acreditem em narrativas políticas', diz Guedes a empresários

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 08.09.2022 - O ministro da Economia, Paulo Guedes. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 08.09.2022 - O ministro da Economia, Paulo Guedes. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, elogiou a condução política do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), projetou bons indicadores na economia e pediu a empresários que não acreditassem em narrativas políticas.

"Não acreditem em narrativas políticas que são detrimentais [prejudiciais] ao que está acontecendo no Brasil. Confiem no Brasil, apostem no país e observem os fatos", disse o ministro, citando a deflação registrada no último trimestre e as recentes revisões das projeções de crescimento do Brasil em 2022.

As declarações foram dadas nesta segunda-feira (26) em encontro com empresários em Salvador em evento organizado pelo Fórum Empresarial da Bahia, que reúne a Federação das Indústrias do Estado da Bahia e outras entidades empresariais.

O ministro destacou a retomada econômica do país, voltou a criticar as narrativas políticas e disse que o governo esteve sob ataque por três anos e meio.

"É a crise de abstenção de quem não está no poder. Depois de 30 anos no poder, entrou um presidente que falou o seguinte 'o caminho é para lá, o caminho não é para onde vocês estavam indo'. Foram 30 anos de economia fechada, nós vamos abrir", afirmou.

Na sequência, defendeu o presidente Jair Bolsonaro: "Não é populista, o nosso presidente é popular. Tem uma diferença enorme".

Guedes citou os desafios enfrentados pelo país da pandemia da Covid-19, lembrando que foram perdidos um milhão de empregos formais em 60 dias. E celebrou políticas sociais do governo Bolsonaro como o Auxílio Brasil e o auxílio emergencial, destacando que este último chegou a atender 68 milhões de pessoas no período mais crítico da pandemia.

Ao citar o programa social, Guedes destacou o papel do ex-ministro da Cidadania João Roma, candidato ao governo da Bahia que também participou do encontro com empresários.

Guedes afirmou que o país sai da pandemia com a relação entre a dívida e o Produto Interno Bruto em 77%, mesmo patamar de antes: "Os senhores podem ter orgulho de não empurrar a conta para filhos e netos. Nós lutamos, nós vencemos e nós pagamos pela guerra."

O ministro ainda afirmou que o Brasil será uma das cinco maiores economias do mundo com a formação de uma economia de mercado com consumo de massa e disse que o presidente Bolsonaro age com altivez.

"Está escrito. Nós só temos de confiar em nós mesmos. E o nosso presidente dado essa demonstração de altivez por um lado e de desempenho por outro lado. Nós temos tido um desempenho melhor do que aqueles que nos subestimavam", disse.