Mercado abrirá em 3 h 6 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,65
    -0,12 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.852,90
    -2,30 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    31.866,10
    -502,19 (-1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    643,97
    -32,93 (-4,87%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.673,32
    +34,47 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.434,50
    -41,00 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Não acredite em rumores! A Microsoft não comprará a Sony

Rui Maciel
·1 minuto de leitura

Na manhã desta terça-feira, o site Microsofters afirmou que a Microsoft comprara a Sony e todas as suas divisões por US$ 130 bilhões de dólares. A página afirma ainda que o objetivo final da aquisição seria reforçar o catálogo do Xbox. A notícia, claro, se espalhou pelas redes sociais e até outros veículos especializados reproduziram o conteúdo. No entanto, tal operação não passa de um rumor sem nenhum fundamento.

Isso porque, com exceção da unidade de jogos e serviços online - a divisão PlayStation - nenhum outro setor de produtos faria qualquer sentido para o modelo de negócios da Microsoft, incluindo smartphones e televisores. As divisões de Filmes (Sony Pictures) e Música (Sony Music) até poderiam ajudar a rechear o catálogo do Xbox Live, mas, ainda assim, a empresa nunca sinalizou qualquer intenção de se aventurar por essas áreas.

E mesmo com a intenção de equipar seus smartphones da linha Surface com os bons sensores de câmera da Sony, não faria sentido a Microsoft comprar uma empresa inteira para ter o fornecimento de apenas um componente.

Para completar, a compra da Sony apenas para se apoderar dos seus ativos na área de games também dificilmente seria aprovado por órgãos reguladores tanto dos EUA, quanto do Japão, até porque o mercado de videogames acabaria se concentrando ainda mais, com o Xbox e a Nintendo dominantes.

Logo, não acredite em tudo o que se lê. A Microsoft NÃO comprou a Sony. E as chances de que isso ocorra são quase nulas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: