Mercado fechado

‘Não aceitamos coação do secretário da Presidência', afirma Renan Calheiros após pedido de investigação de servidor da Saúde

·1 minuto de leitura

RIO — Após o anúncio do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, que o governo pedirá para a Polícia Federal (PF) e para a Controladoria-Geral da União (CGU) investigarem o servidor do Ministério da Saúde que denunciou suspostas irregularidades envolvendo a compra da vacina indiana Covaxin, o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou em entrevista à GloboNews que a comissão “não aceitará ser coagida” por Lorenzoni e afirmou que pode pedir a prisão do secretário.

— São fatos gravíssimos que precisam ser investigados. Essa declaração do secretário-geral da Presidência da República é criminosa, interfere na investigação e coage a testemunha. Nós vamos convocá-lo como consequência de tudo isso. Se ele continuar a coagir a testemunha, nós vamos requisitar a prisão dele, para que essa gente entenda que é preciso respeitar a instituição da CPI. Isso não pode ficar impune, alguém tem que ser responsabilizado — declarou Calheiros.

O senador classificou como “um horror” a fala de Onyx Lorenzoni na tarde desta quarta-feira, e afirmou que o Planalto quer intervir na investigação em curso através da coação do servidor da Saúde Luis Ricardo Fernandes. Calheiros ainda afirmou que a primeira punição ao secretário-geral será a convocação para depor na CPI.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos