Mercado fechará em 33 mins

Musk volta a adiar lançamento de verificação paga no Twitter

Elon Musk, novo proprietário do Twitter, adiou o lançamento de um novo sistema de autenticação de contas na plataforma, que consistirá numa assinatura paga, mas não informou a nova data de início.

"O relançamento do Blue Verified (um selo de verificação azul) foi adiado até que haja um alto nível de confiança em impedir o roubo de identidade", tuitou Musk na segunda-feira (21).

"Provavelmente haverá uma cor diferente para as organizações e para os indivíduos", acrescentou o bilionário.

Musk havia anunciado na semana passada que esse novo sistema seria relançado em 29 de novembro.

Adicionar uma opção de verificação para assinantes, aberta para todos os usuários por US$ 8 por mês, tem sido um dos grandes projetos do bilionário desde que ele comprou a rede social no final de outubro.

No início deste mês, Musk disse que o relançamento do serviço no Twitter incluiria autenticação da conta. Ele argumentou que o plano mudaria o "sistema atual de senhores e camponeses" da plataforma e criaria um novo fluxo de receita para a empresa.

Entretanto, uma tentativa inicial de lançar o recurso no iPhone enfrentou uma vergonhosa onda de contas falsas, que assustaram os anunciantes.

Contas com milhões de seguidores e verificadas foram banidas depois que alteraram o nome de usuário para "Elon Musk".

O Twitter suspendeu a verificação paga e restabeleceu o selo cinza, "oficial", em contas pertencentes a figuras públicas e grandes organizações.

Desde então, o dono da rede social restabeleceu algumas das contas banidas que se faziam passar por ele, incluindo a da comediante Kathy Griffin.

Antes de Musk adquirir o Twitter, a plataforma oferecia verificação de identidade gratuita para organizações e figuras públicas, enquanto o Twitter Blue oferecia funções de personalização não relacionadas.

O Twitter Blue faz parte dos planos do dono da Tesla e da Space X, que busca diversificar as fontes de receita da empresa cuja saúde financeira depende muito das receitas publicitárias.

Desde a aquisição, vários grandes anunciantes, incluindo Grupo Volkswagen, General Motors e General Mills, anunciaram que pararão de anunciar no Twitter.

dho/vk/dva/ssy/db/yow/ms