Mercado fechará em 2 h 37 min
  • BOVESPA

    111.577,61
    +668,00 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.352,82
    +178,76 (+0,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,23
    +2,03 (+2,60%)
     
  • OURO

    1.766,20
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    16.879,49
    +508,08 (+3,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,78
    +0,08 (+0,02%)
     
  • S&P500

    3.952,01
    -5,62 (-0,14%)
     
  • DOW JONES

    33.696,51
    -156,02 (-0,46%)
     
  • FTSE

    7.588,24
    +76,24 (+1,01%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.549,25
    +24,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4295
    -0,0271 (-0,50%)
     

Musk oficializa compra do Twitter; saiba tudo do negócio

Elon Musk tem uma fortuna estima em R$ 1 trilhão
Elon Musk tem uma fortuna estima em R$ 1 trilhão

Em publicação na rede social que acabou de comprar, o homem mais rico do mundo, Elon Musk, oficializou a compra da rede social."A razão pela qual estou comprando o Twitter é que é importante para a civilização ter uma praça pública em comum, onde diversas crenças podem ser debatidas de forma saudável e sem violência.", postou.

Negócio de 44 bilhões de dólares

A transação vem se arrastando desde abril, quando Musk começou a comprar participação acionária na rede social e os rumores de um controle total aumentaram.

Depois de semanas de negociações, acusações e outras coisas do gênero, o Conselho do Twitter aceitou na época a oferta de Elon Musk para comprar a rede social. O bilionário, dono da Tesla e SpaceX, ofereceu US$ 54,20 por ação

O negócio de quase US$ 44 bilhões recebeu o aval da diretoria do Twitter na época.

Contas falsas foram problema para o negócio

O caso começou a mudar de figura quando o bilionário recuou do negócio, alegando que não concretizaria a compra por causa dos milhões de perfis falsos da rede - tese negada pelos executivos do Twitter.

Advogados de Musk fizeram ameaças em uma carta ao Twitter que foi endereçada à Comissão de Valores Mobiliários. O texto diz que o magnata pediu repetidamente a informação desde 9 de maio, cerca de um mês depois de sua oferta de compra da empresa, para que ele pudesse avaliar quantas das 229 milhões de contas da empresa são falsas.

O caso foi parar na Justiça e a questão ia começar a ser julgada nesse final de outubro, mas Musk surpreendeu e voltou atrás novamente ao anunciar que ia comprar mesmo a rede social do pássaro azul.

Boatos de demissão em massa e protestos

Funcionários do Twitter escreveram uma carta aberta a Elon Musk protestando contra os planos do bilionário de demitir 75% da empresa. Segundo uma publicação do Washington Post, Musk planejava cortar 5.500 pessoas da folha de pagamento da rede social. Anteriormente, ele já havia reclamado que o Twitter tem um "forte viés de esquerda".

Na carta, os funcionários se posicionam contra as demissões, dizendo que isso poderia afetar a capacidade do Twitter de atender à “conversa pública”. O documento ainda não foi publicado, mas já circula entre as equipes da empresa.

Musk já visitou o escritório do Twitter

O momento de chegada do bilionário nesta quarta-feira foi gravado e divulgado nas redes sociais.

Musk chega carregando uma pia, fazendo um trocadilho com a expressão americana "let that sink in", que pode ser traduzida como "cair a ficha" no sentido de "assimilar" ou "compreender" algo. Em inglês "sink" pode ser traduzida como "pia" ou como o verbo "assimilar".