Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.469,03
    -108,92 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Musk e Twitter, uma relação cheia de altos e baixos

A compra do Twitter por Elon Musk foi um melodrama desde o início: um vai e vem de emoções entre um bilionário excêntrico e uma rede social influente.

Esse casamento, precedido por um namoro de amor e ódio de ambos os lados, foi consumado na quinta-feira (27), quando Musk assumiu o controle da empresa, segundo a mídia americana.

A seguir, uma visão geral de seu romance com a rede:

- O noivado -

Tudo começou com um primeiro encontro muito caro: Musk, um usuário veterano do Twitter conhecido por suas mensagens polêmicas, levou 73,5 milhões de ações pelas quais pagou quase US$ 2,9 bilhões.

Revelada em um documento do órgão regulador em 4 de abril e que deu a ele uma participação de 9,2% na empresa, a compra disparou as ações do Twitter e provocou rumores de que Musk estava buscando um papel importante nas operações da empresa.

Também rendeu-lhe um assento no conselho de administração. O CEO da mídia social, Parag Agrawal, anunciou a oferta em um tuíte, chamando Musk de "adepto apaixonado e crítico intenso do serviço, que é exatamente do que precisamos".

Mas a atração inicial não durou: Musk desistiu de entrar no conselho de administração e rapidamente lançou uma oferta pública de compra da empresa, oferecendo US$ 54,20 por ação, de acordo com um documento de 13 de abril.

- O compromisso -

Mais tarde, em 25 de abril, o Twitter anunciou que venderia a plataforma para Musk por US$ 44 bilhões.

Musk vendeu então US$ 8,4 bilhões em ações da Tesla, prometeu usar até US$ 21 bilhões de sua fortuna pessoal e conseguiu alguns bilhões de dólares de contribuição através de amigos.

- A separação -

Mas o bilionário não demorou a mostrar sinais de arrependimento. Em 13 de maio, ele disse que o acordo de compra do Twitter estava "temporariamente suspenso", à espera de informações sobre spam e contas falsas na rede social.

Após dois meses de confrontos públicos sobre o assunto, ele cancelou o acordo, acusando o Twitter de fazer declarações "enganosas".

A empresa foi rápida em tomar medidas legais para fazer cumprir o acordo.

- A reconciliação -

Ambas as partes se prepararam para um longo e caro embate na frente de um tribunal especial do estado de Delaware.

Musk foi favorecido, após revelações de um ex-funcionário do Twitter, que expôs as deficiências da empresa na relação com as contas falsas, ou de robôs, assim como sua aparente negligência nas questões de segurança.

Já o Twitter sustenta rigorosamente que seu acordo com Musk estava selado e, por isso, deveria ser cumprido.

No início deste mês, Musk revelou - em um tuíte, é claro - que ele concordou em fechar o negócio pelo preço inicialmente oferecido, chamando a compra de um "acelerador" para a criação de "X", que, segundo ele, seria "a aplicação de tudo", sem dar mais detalhes.

O litígio foi suspenso, e o tribunal de Delaware estabeleceu esta sexta-feira como o prazo final para selar o acordo.

- O casamento -

Na quinta-feira, finalmente chegou a notícia de que as núpcias estavam finalizadas: Musk assumiu o controle do Twitter e demitiu seus principais executivos, incluindo o CEO, informou a mídia americana.

Mais cedo naquele dia, Musk disse que esperava encorajar um debate "saudável" na plataforma.

Musk já havia dado pistas sobre a união iminente, ao mudar sua biografia no Twitter para "Chief Twit" e visitar a sede da empresa na Califórnia no início da semana.

Se este é um final feliz, só o tempo dirá.

bur/sst/st/bfm/dga/cjc/aa/tt