Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.068,21
    +106,58 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Musk defende cobrança de contas verificadas no Twitter

O novo proprietário do Twitter, Elon Musk, defendeu no domingo seu criticado lançamento de um serviço de assinatura paga para verificar as contas dos usuários.

"A verificação generalizada democratizará o jornalismo e empoderará as vozes das pessoas", tuitou ele, respondendo às preocupações de associações, anunciantes e até das Nações Unidas, que temem um aumento no discurso de ódio e da desinformação online.

Com o novo plano, os usuários que pagarem 8 dólares por mês pelo serviço de assinatura da plataforma, chamado Twitter Blue, receberão o selo azul que indica que a conta está verificada.

Essa característica é fornecida atualmente apenas às contas que cumprem certos requisitos, como ser uma figura pública, abordagem que Musk descreveu como um "sistema de senhores e vassalos".

Nos iPhones, o aplicativo do Twitter já menciona o novo serviço, mas seu lançamento foi adiado para quarta-feira, um dia após as eleições de meio de mandato dos EUA, segundo o The New York Times.

"O Twitter tem que se tornar de longe a fonte mais precisa de informações sobre o mundo. Essa é a nossa missão", tuitou Musk no domingo. No entanto, muitos observadores temem o surgimento de contas falsas.

Musk também destacou aqueles que se passam por outros na plataforma. "A partir de agora, qualquer usuário do Twitter que se passar por outro sem especificar claramente 'paródia' será suspenso permanentemente", tuitou Musk, acrescentando que pseudônimos são permitidos desde que os usuários não estejam envolvidos em "enganos maliciosos".

juj/pc/mar/aa