Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,89
    +0,91 (+1,23%)
     
  • OURO

    1.753,40
    +1,70 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    43.845,64
    +1.381,13 (+3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.095,16
    -7,90 (-0,72%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.276,18
    +27,37 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    15.369,75
    +51,00 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2555
    -0,0001 (-0,00%)
     

Museu de Hong Kong dedicado a vítimas da Praça da Paz Celestial reabre online

·1 minuto de leitura
Pessoas acendem velas em Hong Kong durante vigília para marcar o 32º aniversário da repressão a manifestantes na Praça da Paz Celestial, em Pequim

HONG KONG (Reuters) - O Museu 4 de Junho de Hong Kong, dedicado às vítimas da repressão a manifestantes pró-democracia dentro e nos arredores da Praça da Paz Celestial de Pequim em 1989, reabriu virtualmente nesta quarta-feira como "Museu 8964", informou um grupo pró-democracia.

A Aliança de Hong Kong em Apoio a Movimentos Patrióticos Democráticos da China, os organizadores das vigílias anuais de 4 de Junho no pólo financeiro global, disseram que o lançamento foi feito com financiamento coletivo e organizado no exterior após uma "avaliação de risco político".

Sua localização física em Hong Kong fechou em 2 de junho devido a uma investigação do Departamento de Alimentos e Higiene Ambiental sobre seu alvará.

Depois que Pequim colocou o pólo financeiro em uma trajetória autoritária impondo uma lei de segurança nacional abrangente no ano passado, saber se o museu ainda conseguirá funcionar é uma dúvida crescente.

"A repressão política se intensifica", disse a aliança em um comunicado. "O Museu 4 de Julho está fechado atualmente, e a reabertura só será cogitada quando um método ou locação adequada for encontrado no futuro."

O museu online opera independentemente da aliança, acrescentou o comunicado.

Hong Kong, ex-colônia britânica que voltou ao controle chinês em 1997 com a promessa de que suas liberdades amplas permaneceriam intactas, costuma realizar a maior vigília mundial do 4 de Junho para lembrar as vítimas da repressão. A China continental proíbe as homenagens e censura fortemente menções ao tema.

(Por Twinnie Siu)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos