Mercado abrirá em 2 h 54 min
  • BOVESPA

    123.576,56
    +1.060,82 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,37
    -0,19 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.816,80
    +2,70 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.848,24
    -776,38 (-2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,74
    -18,70 (-1,98%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.135,21
    +29,49 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.053,00
    +6,75 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1614
    -0,0041 (-0,07%)
     

Multilaser estreia na Bolsa brasileira com ações a R$ 11,10, e papéis disparam

·1 minuto de leitura

A Multilaser concluiu nesta quinta-feira (22) a sua oferta pública inicial de ações na B3, a Bolsa de Valores brasileira. Os papéis da fabricante nacional de eletrônicos foram precificados a R$ 11,10 cada neste primeiro dia, com forte ascensão no fechamento, chegando a R$ 12,95, uma alta de 16,67%.

A empresa festejou sua entrada em uma cerimônia na sede da B3 no centro de São Paulo, com a presença de Viviane Basso, vice-presidente de operações da B3, e Alexandre Ostrowiecki, CEO da Multilaser. "Estamos muito felizes com esse momento de abertura de capital, pois esse passo reforça a capacidade financeira da nossa empresa", disse Ostrowiecki em comunicado à imprensa.

Multilaser H, celular da fabricante (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)
Multilaser H, celular da fabricante (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

A empresa já havia tentado realizar a abertura de seu capital na Bolsa de Valores em 2018, mas teve seu pedido negado na época devido à volatilidade do mercado.

A Multilaser — fundada em 1987 por Israel Ostrowiecki em São Paulo — tem um portfólio que atira para todos os lados, em uma estratégia muito parecida com a da chinesa Xiaomi. Atualmente, a brasileira fabrica eletrônicos diversos como TVs, tablets, smartphones, notebooks e uma infinidade de acessórios, como teclados e mouses. Também vende objetos domésticos, ferramentas, brinquedos e aparelhos para casa conectada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos