Mercado fechará em 2 h 21 min

Verdão vai pagar R$ 600 mil de multa a Luxa e Galiotte quer técnico do Del Valle

Jorge Nicola
·2 minutos de leitura
Luxemburgo tinha salário de R$ 600 mil mensais no Verdão (Bruno Ulivieri/Agif)
Luxemburgo tinha salário de R$ 600 mil mensais no Verdão (Bruno Ulivieri/Agif)

A demissão de Vanderlei Luxemburgo vai custar R$ 600 mil ao Palmeiras. É que a multa rescisória no contrato entre o técnico e o Verdão previa um mês de salário, conforme apurou o Blog com um dirigente palmeirense. Luxa foi dispensado depois da derrota por 3 a 1 para o Coritiba, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Além de bancar os R$ 600 mil de multa além de todos os outros encargos, como férias e 13º proporcionais, além dos 14 dias trabalhados em outubro.

Leia também:

A partir da manhã desta quinta-feira, o Palmeiras começará a trabalhar na busca por um novo comandante. E o Blog descobriu que um nome que agrada ao presidente Maurício Galiotte há bastante tempo é Miguel Angel Ramirez, espanhol que comanda o Independiente del Valle, do Equador.

Não existe proposta, sondagem ou qualquer coisa do gênero. Até porque Luxemburgo foi demitido às 23h35 desta quarta-feira. Mas todas as pessoas com trânsito com Galiotte já o ouviram falar bem sobre o trabalho de Ramirez, que já revelou sua intenção de trabalhar no futebol brasileiro em breve.

Será que o espanhol trocaria o Del Valle em meio à Libertadores? Ao menos, se a mudança fosse para o Palmeiras, ele seguiria na competição, já que o Verdão está classificado com uma rodada de antecedência para as oitavas de final do torneio.

Outras opções: Além de Ramirez, outros dois nomes são especulados especialmente entre os torcedores palmeirenses: Heinze, argentino desempregado desde março, quando decidiu deixar o Velez Sarsfield, e Arce, recém-campeão paraguaio pelo Cerro Porteño.

Vale lembrar que o Palmeiras chegou a consultar Arce em 2014, mas o ex-lateral-direito alviverde se recusou a deixar o Cerro por causa do contrato - ele não tem o hábito de rescindir seus vínculos. Três meses mais tarde, acabou dispensado pelo clube paraguaio, mas o Verdão já havia contratado treinador.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos