Mercado abrirá em 2 h 7 min
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,36
    -0,49 (-0,93%)
     
  • OURO

    1.840,80
    -8,10 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    31.364,88
    -28,00 (-0,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    631,86
    +4,20 (+0,67%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.443,47
    -123,90 (-1,89%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.950,75
    -154,75 (-1,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Mulher sofre reação alérgica séria após receber vacina da Pfizer

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

Uma profissional de saúde do Alasca, nos Estados Unidos, apresentou uma reação alérgica grave na última terça-feira (15) após receber uma dose da vacina da Pfizer/BioNTech. O efeito colateral de vermelhidão e falta de ar aconteceu apenas 10 minutos depois da aplicação da dose.

A profissional, que não teve o nome revelado, é uma mulher de meia-idade e sem histórico de alergias. Ela precisou ser internada para receber o tratamento adequado, e passa bem. Na última semana, outros dois casos de reação alérgica à vacina conta a COVID-19 da Pfizer/BioNTech foram revelados no Reino Unido.

A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do país emitiu uma nota pedindo para que qualquer pessoa com histórico de reação alérgica, seja à vacina, medicamento ou alimento, não tomasse o imunizante, assim como aqueles que tem histórico de anafilaxia.

<em>Imagem: Reprodução/Centers for Disease Control and Prevention/Rawpixel</em>
Imagem: Reprodução/Centers for Disease Control and Prevention/Rawpixel

Acredita-se que reação anafilática apresentada pela mulher do Alasca é semelhante aos dois casos do Reino Unido. Em um deles, que envolve uma mulher de 49 anos, havia o histórico de alergia a ovo, e no outro, a mulher de 40 anos conta com histórico de hipersensibilidade a diferentes medicamentos, e ambas carregavam consigo dispositivos para injetar epinefrina para controlar a reação. A Pfizer, no entanto, diz que não há derivados de ovo nos ingredientes da fórmula.

A Moderna vem usando em suas vacinas ingredientes similares às vacinas da Pfizer/BioNTech, mas ainda não há informações suficientes que possam apontar para que as mesmas reações aconteçam. Ambas as vacinas contam com um material genético chamado mRNA, que é envolto em uma bolha feita com uma mistura de lipídeos (gorduras), que são de tipos diferentes.

Jerica Pitts, porta-voz da Pfizer, contou à imprensa que a companhia ainda não possui todos os detalhes do caso, mas que vem trabalhando junto às autoridades de saúde para entender o que aconteceu. "Nós vamos monitorar de perto todos os casos sugestivos de reações alérgicas sérias depois da vacinação e atualizar a linguagem do rótulo", diz.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: