Mercado abrirá em 9 h 42 min
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,91
    -0,45 (-0,86%)
     
  • OURO

    1.825,20
    -4,70 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    36.033,58
    +330,64 (+0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,65
    -33,49 (-4,56%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.642,40
    +68,54 (+0,24%)
     
  • NIKKEI

    28.302,72
    -216,46 (-0,76%)
     
  • NASDAQ

    12.759,25
    -43,00 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3856
    -0,0070 (-0,11%)
     

Mulher negra acusa Google de racismo, e de dizer que sotaque era ‘deficiência’

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Google: acusado de racismo. (Foto: AP)
Google: acusado de racismo. (Foto: AP)

Uma ex-funcionária negra do Google veio a público para acusar a gigante da tecnologia de racismo sistêmico. As informações são do Business Insider.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

April Christina Curley atuava na empresa americana como recrutadora especializada em diversidade – justamente um cargo criado para ampliar a igualdade e justiça racial dentro da empresa.

Leia também:

O setor de tecnologia é conhecido por muitas vezes dar preferência a estudantes e profissionais vindos de um contexto branco, masculino e privilegiado.

Segundo Christina, o que ela encontrou foi uma empresa que sistematicamente “sabotava” alunos que não viessem de faculdades específicas de elite, e gerentes que também dificultavam o progresso na carreira de pessoas negras, e chegavam a ser violentos com elas.

Ela cita uma situação em que foi alertada por uma gerente que seu sotaque, da região de Baltimore, seria visto como uma “deficiência”.

O Google não se pronunciou sobre as denúncias.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube