Mercado fechará em 4 h 6 min
  • BOVESPA

    110.472,48
    +1.071,07 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.513,77
    -285,69 (-0,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,86
    -0,07 (-0,09%)
     
  • OURO

    1.789,80
    +8,50 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    17.005,47
    -224,33 (-1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,94
    -0,86 (-0,21%)
     
  • S&P500

    3.982,07
    -16,77 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    33.904,28
    -42,82 (-0,13%)
     
  • FTSE

    7.559,75
    -7,79 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    19.441,18
    -77,11 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    27.885,87
    +65,47 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    11.730,50
    -75,25 (-0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4948
    -0,0386 (-0,70%)
     

Mulher negra é acusada de furto em loja da Renner no Rio; funcionária foi demitida

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Uma mulher negra que experimentava roupas no provador de uma loja da Renner, no Madureira Shopping, no Rio de Janeiro, diz ter sido vítima de racismo praticado por uma funcionária da unidade. O caso ocorreu na tarde deste sábado (12).

Parentes da mulher e clientes da loja filmaram a confusão e publicaram os vídeos nas redes sociais. Segundo relatos da prima da vítima, compartilhados em rede social, a funcionária teria coagido a mulher a abrir a bolsa, após alegar que ela teria furtado uma peça de roupa na loja.

Por meio de nota, a Renner considerou o episódio "inaceitável" e informou que a funcionária foi demitida.

"Minha prima estava no provador da Renner quando, de repente, entrou uma funcionária coagindo ela, empurrando ela na parede, mandando ela tirar tudo que ela 'pegou'. Ela, assustada, abriu a bolsa perguntando ser do casaco que ela estava falando", disse a prima da vítima, na publicação.

Segundo o relato, o casaco que a mulher carregava na bolsa era de uma marca não comercializada na loja e que teria bastante tempo de uso.

"Ela [vítima] disse que o casaco era da Redley. A mulher disse que não, que era da Renner e que ela havia roubado. Empurrou ela, jogou a bolsa no chão e quando olhou a etiqueta, e viu que realmente era da Redley, disse que só tinha ido falar com ela pra entregar o cartão [que corresponde ao número de peças]".

A pessoa que filma a confusão dentro do provador disse ter ouvido a funcionária falar para a vítima "me dá a bolsa, que eu vi você pegando".

Um outro vídeo mostra dezenas de clientes indignados com o ocorrido e dando apoio à mulher acusada de furto pela funcionária. Eles entoam a frase "Renner Racista".

A Polícia Militar foi acionada. Segundo o relato da parente da vítima, os agentes de segurança compareceram ao local cerca de uma hora após a confusão. A mulher foi levada até o 29º DP, onde registrou um boletim de ocorrência.

Veja a nota da Renner na íntegra

"O episódio ocorrido no Madureira Shopping é inaceitável. A abordagem realizada foi totalmente inadequada e não está alinhada aos valores da Lojas Renner, por isso a colaboradora responsável já não faz mais parte do quadro de colaboradores da companhia. Lamentamos profundamente o ocorrido e já nos colocamos à disposição da cliente para apoiá-la.

A empresa não tolera racismo ou qualquer tipo de preconceito e discriminação. Reforçamos que temos uma política de Direitos Humanos, além de um Código de Conduta e um programa de diversidade que buscam promover a inclusão, o que passa pela sensibilização e capacitação constante das nossas equipes.

Continuaremos empenhados em avançar na conscientização de nossos times e no aprimoramento de nossos processos, reforçando os treinamentos e com atuação imediata na loja em questão, com o objetivo de garantir que o respeito e a equidade sejam aplicados em todas as nossas relações."