Mercado abrirá em 1 h 52 min
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,89
    +0,28 (+0,53%)
     
  • OURO

    1.844,60
    -6,30 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    31.323,97
    -612,45 (-1,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    629,01
    -10,90 (-1,70%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.646,87
    -7,14 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.552,25
    +66,75 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5096
    -0,0012 (-0,02%)
     

Mulher Melão tira quase tudo para voltar ao funk proibidão: ‘Canto o que a mulher quer falar na hora H’

·1 minuto de leitura

Loira e decidida a voltar ao time das funkeiras. Renata Frisson, a Mulher Melão, usou a quarentena para escolher um novo repertório e retomar a carreira como cantora. Desta vez, ela vai ingressar no funk proibidão e gravou recentemente o batidão “Soca na sua malvada”, que também vai ganhar uma versão mais suave para as rádios. “Sabe aquela história da mulher ousada na cama e uma dama na sociedade? Essa é minha inspiração”, conta ela, que gravou com DJs de Caxias, na Baixada Fluminense: “É lá que o funk rola de verdade”.

O lançamento está previsto para este mês de julho, mas Melão não sabe ainda quando poderá fazer shows novamente. “Enquanto isso, trabalho a música para virar hit”, avalia. Ela diz que não teme ser mal interpretada pela letra, digamos, safadinha. “Sou livre e canto o que a mulher quer falar na hora H. Não tenho público teen. Sou fruto proibido”, desafia.

Para chegar com tudo novamente nos palcos, Melão entrou numa dieta severa e voltou a treinar: “Estava me sentindo meio redondinha e inchada por causa da quarentena. A gente acaba chutando o balde. Agora, acabou a brincadeira”