Mercado fechado

Mulher leva homem morto há 12 horas para fazer prova de vida em agência da Caixa

·1 minuto de leitura
GLóRIA DE DOURADOS, BRAZIL - 2020/09/15: The Caixa Econômica Federal logo at one of its bank branches in Dourados, Mato Grosso do Sul. (Photo by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
(Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

Uma mulher levou uma pessoa morta para fazer prova de vida em uma agência da Caixa Econômica Federal em Campinas, no interior de São Paulo. O caso aconteceu no último dia 2, mas o laudo do Instituto Médico Legal, que comprova que o homem estava morto, foi divulgado nesta quinta-feira, 15.

As informações são do portal UOL e o caso foi confirmado à reportagem pela Secretaria de Segurança Pública do estado.

A mulher de 58 anos, acompanhada de um casal, entrou com um homem sentado em uma cadeira de rodas. Ela foi ao primeiro andar da agência sozinha e disse que o senhor estava passando mal.

A senhora explicou ao atendente que precisava de uma nova senha para entrar na conta bancária do marido, o homem que estava na cadeira de rodas, porque tinha perdido a antiga. Ela não tinha procuração e, por isso, precisava provar que ele estava vivo.

Leia também

Um dos atendentes notou que algo estava errado. O homem na cadeira de rodas, Laercio Della Colleta, estava morto. Ele pediu ajuda a um bombeiro da agência, que também identificou que o idoso estava sem vida.

Um dia depois do ocorrido, Laercio Della Colleta foi enterrado.

O caso é investigado pelo 1º DP de Campinas e, segundo o UOL, a vítima pode ser indiciada por fraude. O delegado Cícero Simão da Costa classificou o caso como “absolutamente incomum”. “Agora que temos o resultado vamos ouvi-la novamente para tentar entender o que aconteceu”, explicou.