Mercado abrirá em 1 h 3 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,11
    -1,28 (-3,42%)
     
  • OURO

    1.878,10
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    13.104,45
    -58,95 (-0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,82
    -13,87 (-5,09%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.599,61
    +16,81 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.243,50
    +110,75 (+0,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7196
    -0,0148 (-0,22%)
     

Mulher é internada pra fazer cirurgia, some de hospital e é achada morta no RJ

·3 minutos de leitura
Valéria ao lado do namorado Milton - Foto: Acervo Pessoal
Valéria ao lado do namorado Milton - Foto: Acervo Pessoal

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga a morte de Valéria Muniz de Carvalho. Ela estava desaparecida desde a semana passada, depois de ter desaparecido do Hospital Municipal Salgado Filho, na zona norte do Rio de Janeiro, onde estava internada para realizar uma cirurgia por causa de uma fratura no calcanhar. As informações são do portal UOL.

Familiares da vítima, que tinha 52 anos, estiveram no início da semana na unidade e descobriram que Valéria simplesmente não estava mais lá. De acordo com relato dos parentes, na última sexta-feira (18), eles receberam uma mensagem informando que a paciente passaria por alguns exames. Depois, não receberam mais notícias e começaram a estranhar a falta de retorno do hospital.

Leia também:

Segundo o UOL, depois de confirmarem o sumiço de Valéria, a família começou a realizar buscas e descobriu que o corpo estava no IML (Instituto Médico Legal). Ela foi encontrada pela polícia no bairro vizinho ao hospital, a menos de três km de distância da instituição.

A direção do Hospital Municipal Salgado Filho garante estar colaborando com a investigação. Segundo o hospital, Valéria saiu da instituição caminhando pelo setor de emergência no último sábado (19), por volta das cinco da manhã. A instituição alega possuir imagens que compravam essa versão e que a polícia já teria tido acesso a elas.

Versão do namorado

Milton de Souza, namorado de Valéria, contesta a versão do hospital de que ela teria deixado o local por conta própria.

"Eu fiquei o tempo inteiro com ela no hospital na quinta-feira e ela já internou no mesmo dia. Na sexta, me mandaram aquele relatório médico sobre ela. Quando foi na segunda-feira pela manhã, eu fui ao hospital para pedir notícia, porque eles não falaram mais nada. Foi aí que me informaram que a Valéria tinha saído andando do hospital. Ela não tinha condições de andar sozinha com o pé quebrado, não tinha como. Na mesma hora eu fui para a delegacia. Na segunda de noite, descobrimos que o corpo dela estava no IML desde sábado. Eu estou em estado de choque até agora", desabafou Milton ao UOL.

Em nota divulgada pelo UOL, o hospital diz lamentar a morte de Valéria, mas destaca que ela era uma “paciente lúcida” que deixou o local sem “autorização de alta".

"A direção do Hospital Municipal Salgado Filho lamenta a morte da sra. Valéria Muniz e está colaborando com a investigação policial. É importante destacar que a sra. Valéria era uma paciente lúcida e deixou a unidade sem autorização de alta, não havendo portanto nenhum documento assinado — isso só acontece na situação quando o paciente solicita 'alta a pedido' e assina termo de responsabilização por interromper o tratamento médico."

A Polícia Civil diz que aguarda o resultado do laudo pericial do corpo da mulher e que as investigações para descobrir as circunstâncias da morte de Valéria estão sendo realizadas.