Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,05
    +0,09 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.769,60
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    64.143,91
    +2.372,25 (+3,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,22
    +17,87 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.402,50
    +4,00 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5080
    +0,1165 (+1,82%)
     

Mulher cai em golpe ao pagar R$ 1,5 mil para receber carro de volta

·2 minuto de leitura
Mulher mexendo no celular
Vítima foi contatada por telefone pelos criminosos
(Getty Creative)
  • Mulher foi assaltada e caiu em golpe de "falso resgate" 

  • Bandidos exigiram R$ 1,5 mil para devolver carro. Ela pagou, mas devolução era falsa 

  • Criminosos conseguiram dados do carro via postagens realizadas por ela nas redes sociais

Uma mulher caiu no golpe do “falso resgate” após pagar R$ 1.500 para ter seu carro de volta. Ela havia sido assaltada dois meses atrás na porta de casa e acreditou que os bandidos estavam entrando em contato para negociar a devolução do veículo.

Débora Mota, residente na Baixada Fluminense (RJ), contou que foi contatada via telefone. “Ligaram para o meu marido primeiro, mandaram mensagem no Facebook, deram a descrição do carro. Na hora do nervosismo, não vimos que era um golpe. Então, a gente fez a transferência”, disse em entrevista ao G1. Após o pagamento, os bandidos a bloquearam.

Leia também:

O que os golpistas fizeram para ter acesso às informações do veículo foi algo bem simples: olhar as postagens que Débora havia feito nas redes sociais na tentativa de localizar o veículo. Especialistas alertam que esse tipo de postagem não é indicado, já que os criminosos se aproveitam de qualquer dado publicado.

Com relação à atitude frente a esse tipo de golpe, Luiz Augusto D'urso, advogado especialista em crimes virtuais, disse ao G1 que o ideal é procurar a polícia. “O problema é que o veículo nunca é devolvido, porque o bandido não vai se expor, e o estelionatário nem sabe onde o carro está. O indivíduo que teve o seu carro roubado deve procurar a autoridade policial. Essa comunicação pelas redes sociais na busca desse veículo pode causar prejuízos maiores”, alerta.

O caso de Débora está sendo aputado pela 64ª DP, em São João de Meriti, conforme afirmou a Polícia Civil em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos