Mercado fechado

Mudança dos termos de conteúdo infantil do YouTube revolta criadores

Natalie Rosa

O YouTube reformulou as suas regras de uso da plataforma, decidindo um detalhe importante e que deve impactar diversos criadores de conteúdo. De acordo com as novas regras, qualquer vídeo que possua características que remetam ser uma produção para crianças, mas que não seja identificada como tal, levará punição ao canal.

O YouTube está seguindo a Lei de Proteção da Privacidade Online das Crianças, ativa nos Estados Unidos. Com isso, qualquer canal adulto que use animações ou personagens infantis, por exemplo, perderá perder parte de sua monetização. Essa identificação será feita com base em inteligência artificial e sem a ajuda de um humano durante a detecção, o que em outras palavras quer dizer que há boas chances de os resultados serem inconsistentes e prejudiciais aos youtubers.

E isso gerou polêmica nas redes sociais. O youtuber Imaginago vem demonstrando toda a sua insatisfação com as medidas, e criou a hashtag #YouTubeEuNãoSouCriança.

Em resposta, muitos usuários também vem questionando a decisão do YouTube:

A própria plataforma de vídeos chegou a responder ao youtuber no Twitter, afirmando que o criador é quem terá a responsabilidade de marcar o seu conteúdo de acordo com o seu público-alvo.


Mesmo com o retorno do YouTube, os usuários da plataforma não acreditam que a inteligência artificial será eficiente, cometendo vários erros e prejudicando os canais. As reclamações ainda afirmam que deve ser de responsabilidade dos pais das crianças filtrar o conteúdo que eles assistem no YouTube, e que o problema já deveria ser supostamente resolvido com o lançamento do YouTube Kids.

Na última segunda-feira, a hashtag #YouTubeEuNãoSouCriança chegou a ficar na primeira colocação entre os assuntos mais comentados do dia no Twitter.

Imagem: Reprodução

As novas normas do YouTube

Na página oficial de ajuda do YouTube, a companhia explica a implementação da medida, afirmando que um conteúdo é considerado para crianças se:

  • Crianças forem o público principal com base nos fatores descritos abaixo;
  • Crianças não forem o público principal, mas o vídeo for voltado a elas com base nos fatores descritos abaixo.

Os fatores citados pelo YouTube são:

  • O tema do vídeo (por exemplo: conteúdo educativo para crianças em idade pré-escolar);
  • Se as crianças são o público-alvo ou os espectadores reais do seu vídeo;
  • Se os vídeos apresentam atores ou modelos infantis;
  • Se o vídeo mostra personagens, celebridades ou brinquedos infantis, incluindo personagens de animação ou desenhos animados;
  • Se a linguagem do vídeo é adequada para crianças;
  • Se o vídeo contém atividades que são interessantes para crianças, como teatrinhos, músicas ou jogos de fácil assimilação ou está relacionado à educação infantil;
  • Se o vídeo contém músicas, histórias ou poemas para crianças;
  • Se contém outras informações que possam ajudar a determinar o público do seu vídeo, como evidências empíricas de quem são os espectadores do vídeo.

"Se você não categorizar seu conteúdo corretamente, poderá sofrer consequências no YouTube", diz a página de ajuda. O YouTube considera como criança quem possui até 13 anos de idade.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: