Mercado fechado

MPF quer que TCU apure exclusão da Folha de S. Paulo de licitação da Presidência

Evaristo Sá/AFP via Getty Images

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Subprocurador geral do MPF junto ao TCU quer saber razões da exclusão da Folha de S. Paulo de uma licitação de veículos de comunicação nacionais e internacionais da Presidência.

  • Exclusão foi anunciada ontem por Bolsonaro, que tem feito uma série de outros ataques ao jornal.

exclusão do jornal Folha de S.Paulo de uma licitação de veículos de comunicação nacionais e internacionais da Presidência da República virou alvo do subprocurador geral do MPF (Ministério Público Federal) junto ao TCU (Tribunal de Contas da União), Lucas Furtado.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, Furtado quer que o Tribunal apure os motivos da exclusão, anunciada nessa sexta (29) pelo presidente Jair Bolsonaro, que já atacara o jornal, publicamente, em diversas outras oportunidades.

Leia também

O subprocurador solicitou uma medida cautelar para que o TCU determine "à Secretaria Especial de Administração da Presidência da República que se abstenha de excluir a 'Folha de S. Paulo' dos organismos de mídia que constam da relação a ser fornecida pelo vencedor da licitação, ou, alternativamente, suspenda o certame, até que o TCU apure o mérito da questão".

A decisão da Presidência foi a de excluir o jornal da relação de veículos nacionais e internacionais exigidos em um processo de licitação para fornecimento de acesso digital ao noticiário da imprensa.

Ontem, ao comentar o assunto em Brasília, o ex-capitão disse ainda que boicota produtos de anunciantes do jornal e recomendou à população não comprá-los.

"Eu não quero ler a Folha mais. E ponto final. E nenhum ministro meu. Recomendo a todo Brasil aqui que não compre o jornal Folha de S.Paulo. Até eles aprenderem que tem uma passagem bíblica, a João 8:32 [E conhecerão a verdade, e a verdade vos libertará]. A imprensa tem a obrigação de publicar a verdade. Só isso. E os anunciantes que anunciam na Folha também."