Mercado fechará em 1 h 34 min

MP instaura procedimento para apurar possíveis irregularidades em hospitais do Rio

Valor

Procedimento envolve o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e o Hospital de Campanha do Riocentro, referências da rede municipal no tratamento de pacientes com covid-19 O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Capital, instaurou procedimento administrativo para acompanhar as ações adotadas para enfrentamento do novo coronavírus e para solucionar carências detectadas no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e no Hospital de Campanha do Riocentro, referências da rede municipal no tratamento de pacientes com covid-19.

O MPRJ destaca, em nota, que recebeu, por intermédio da Ouvidoria/MPRJ, relatos sobre inadequação e insuficiência de equipamentos de proteção individual, carência de recursos humanos, desabastecimento de materiais e medicamentos nessas unidades. Ressalta, ainda, que os relatórios de vistorias realizados pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) e pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren) confirmam as irregularidades e, principalmente, a carência de recursos humanos nas unidades. O procedimento foi delimitado a estas duas unidades hospitalares para, de acordo com a portaria, dar mais eficiência ao necessário acompanhamento das medidas empregadas.

“Diante dos fatos, o MPRJ oficiou a direção do Hospital de Campanha do Riocentro, a direção do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro (RioSaúde) para que se manifestem, em cinco dias, sobre o conteúdo dos relatórios de vistoria que apontam a carência de recursos humanos e materiais. Requer, ainda, que informem sobre as medidas adotadas para solucionar o problema”, diz a nota divulgada pelo MPRJ.