Mercado abrirá em 8 h 24 min

MP denuncia Paulinho da Força por corrupção, caixa dois e lavagem de dinheiro

André Guilherme Vieira
·2 minutos de leitura

Acusação envolve o pagamento de recursos pela J&F para campanhas de deputado federal e de prefeito de São Paulo entre 2010 e 2013 O Ministério Público Eleitoral denunciou o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, por corrupção passiva, caixa dois e lavagem de dinheiro. Também foi denunciado o advogado Cristiano Vilela Pinho, ligado ao parlamentar. Os crimes, de acordo com a denúncia, ocorreram em 2010, quando Paulinho concorreu à reeleição a uma cadeira na Câmara dos Deputados, e entre 2012 e 2013, por conta da candidatura do presidente do Solidariedade a prefeito de São Paulo. Na primeira oportunidade, o político recebeu R$ 200 mil indevidamente, afirma a promotoria. Na segunda, R$ 1,5 milhão. Os recursos, pagos a título de propina, conforme a denúncia, foram bancados pela J&F, cuja colaboração premiada de seus dirigentes, incluindo Joesley Batista, Wesley Batista e Ricardo Saud, foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os promotores de Justiça também requereram ao juízo da Primeira Zona Eleitoral de São Paulo que determine que o acusado providencie o recolhimento de R$ 1,7 milhão para a reparação por danos morais difusos causados pelas infrações. A denúncia, baseada em inquérito da Polícia Federal (PF) que resultou na deflagração da Operação Dark Side, em julho, com o cumprimento de mandados de busca e apreensão em diversos endereços, incluindo a sede da Força Sindical e o gabinete do parlamentar em Brasília, detalha de que forma o conglomerado econômico teria se valido de um esquema de doleiros e também da emissão de notas frias para serviços que não foram efetivamente prestados. O objetivo, de acordo com a promotoria, foi repassar o dinheiro a Paulo Pereira da Silva. A reportagem está buscando contato com a defesa do presidente do Solidariedade. Paulinho da Força, do Solidariedade, foi denunciado por suspeita de irregularidades em campanhas Valter Campanato/Agência Brasil