Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,24
    +0,63 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.789,80
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    37.878,57
    +2.050,05 (+5,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,43
    +20,98 (+2,49%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.426,50
    +439,75 (+3,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0076
    -0,0164 (-0,27%)
     

Mozilla quer revelar o alcance do Facebook na hora de rastrear você na web

·3 min de leitura

A Mozilla anunciou um programa cujo objetivo é mostrar para o usuário como a Meta rastreia, coleta e utiliza os dados pessoais. O Facebook Pixel Hunt será realizado pela The MarkupTeam, organização dos Estados Unidos sem fins lucrativos voltado para jornalismo orientado a dados, em parceria com a Rally, a plataforma de compartilhamento de dados da Mozilla que prioriza a privacidade.

Conforme a organização, a ação terá como foco a cobertura ética e o impacto da tecnologia na sociedade, com apoio dos usuários voluntários do Firefox. O site do projeto revela que o Facebook pode coletar informações sobre as pessoas na web mesmo se não tiver conta cadastrada no serviço, o que levanta uma série de debates sobre privacidade online.

Pesquisa quer mensurar quais dados são coletados pelo pixel do Facebook (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
Pesquisa quer mensurar quais dados são coletados pelo pixel do Facebook (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

“Uma maneira de o Facebook realizar esse rastreamento é por meio de uma rede de 'pixels' que podem ser instalados em muitos dos sites que você visita. Ao participar deste estudo, você ajudará Rally e Markup Team a investigar e relatar onde o Facebook está rastreando você e que tipo de informação eles estão coletando”, diz o comunicado na página.

Pesquisa analisará rastreamento na web

Para ajudar na coleta de dados, os voluntários precisarão instalar o Rally e se inscrever no estudo Facebook Pixel Hunt. Feito isso, não será necessário ter nenhum outro tipo de ação: basta navegar normalmente para que os dados sejam gerados e enviados para análise das duas empresas. A coleta começa a partir da autorização e vai até o dia 13 de julho de 2022 — vale destacar que, até o momento, apenas usuários baseados nos EUA pode participar dos estudos ligados ao Rally.

O Rally foi lançado em junho de 2021 como uma extensão para o popular navegador da organização no intuito de aumentar a conscientização sobre o valor dos dados das pessoas. Há quem costume dizer que não se importa em ser rastreado na web, porém a Mozilla quer mostrar o quão perigosa é essa crença.

O The Markup Team é formado por um grupo de jornalistas independentes que investigam "Big Techs" (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
O The Markup Team é formado por um grupo de jornalistas independentes que investigam "Big Techs" (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Informações obtidas a partir do uso da extensão são usadas para apoiar vários estudos. Um dos primeiros lançados era vinculado ao Centro de Políticas de Tecnologia da Informação da Universidade de Princeton e tinha como enfoque fake news e desinformação sobre a covid-19 em serviços digitais. Outra pesquisa foi associada à Escola de Negócios da Universidade de Stanford e tinha como foco descobrir como as pessoas consomem notícias e o impacto que os anúncios têm nos consumidores.

Como os pixels do Facebook funcionam

Desta vez, o utilitário será usado para embasar uma pesquisa com uma organização de jornalistas independentes e sem vínculos acadêmicos. Com o apoio da imprensa, é possível que sejam esclarecidos fatos ligados ao pixel de rastreamento da Meta e como a gigante das mídias sociais impacta a vida do usuário na web.

A Meta é alvo de críticas pela forma como lida com dados do usuário, em geral direcionado para venda de publicidade online. No entanto, em casos específicos, a companhia foi acusada de fornecer dados irregulares (sem consentimento das pessoas) a consultorias externas, como no caso do escândalo da Cambridge Analytica, para fins políticos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos