Mercado fechado

Previdência terá de ser discutida em cinco ou seis anos, diz Mourão

(Foto: Mauro Pimentel/AFP/Getty Images)

O vice-presidente Hamilton Mourão não escondeu o descontentamento do governo com a reforma da Previdência aprovada em primeiro turno na Câmara. Durante evento no Rio na manhã de segunda-feira (15), ele afirmou que o tema precisará de nova discussão em até seis anos.

“Qual era a primeira coisa para buscar o equilíbrio fiscal? A reforma da Previdência. Felizmente ela está encaminhada. Não da forma como nós, governo, gostaríamos, mas existe um velho aforismo no meio militar que diz que o ótimo é inimigo do bom. Então, vamos ter uma reforma boa, não uma ótima. Daqui a cinco, seis anos, nós vamos estar novamente discutindo isso aí”, disse o vice-presidente, segundo informações da Agência Brasil.

Leia mais

Durante o II Rio Money Forum, a conversa de Mourão foi fechada à imprensa. Segundo a assessoria de comunicação da vice-presidência, foi uma “questão de segurança institucional.“

Para o vice-presidente, o próximo passo para o Congresso é a reforma política. Mourão acredita que a fragmentação do Congresso fez com que os partidos políticos deixassem "de representar o pensamento da sociedade como um todo."

“O ideal é que tivéssemos cinco partidos, quando muito sete”, disse.