Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    +0,25 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -28,80 (-1,60%)
     
  • BTC-USD

    48.009,07
    -853,78 (-1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    958,81
    -35,85 (-3,60%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.788,00
    -514,00 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7379
    +0,1674 (+2,55%)
     

Motorola quer mudar patamar dos Moto G para competir no mercado premium

Redação
·2 minuto de leitura

A Motorola estaria planejando uma reconfiguração na sua família Moto G. Orientadas no mesmo princípio de números sequenciais desde o primeiro modelo, lançado em 2013, a fabricante partiria para casa das dezenas e centenas, com “Moto G10” e “Moto G100”, expandindo a marca até o mercado intermediário premium.

De acordo com os rumores apresentados pelo site TechnikNews, a Motorola utilizaria a virada da geração da sua família Moto G para expandir a família, definindo os próximos lançamentos como “Moto G10”, “G20”, “G30” e “G100”, “G200” e por aí vai. A intenção seria levar a consagrada marca para outras faixas de preço, competindo contra modelos intermediários e também com aqueles mais próximos dos topos de linha.

Com isso, a primeira confirmação da alteração seria o anúncio do próximo celular — que deve acontecer no segundo semestre desse ano. O Moto G10 deve continuar competindo como intermediário premium, acompanhando tendências dos topos de linha, mas com cortes significativos em recursos e performance para baratear o produto.

Enquanto isso, o rumor indica que a Motorola pretende abandonar a nomenclatura “Edge” nos seus smartphones topos de linha, mas continuar apresentando novos aparelhos da faixa com a casa das centenas da família Moto G. Sendo assim, o sucessor do Moto Edge+ deve ser conhecido como “Moto G100” nos mercados fora da China; por lá, o flagship é conhecido como Moto Edge S.

(Imagem: Divulgação/Motorola)
(Imagem: Divulgação/Motorola)

Nesse caso, somente o nome seria diferente. O celular ainda contaria com um conjunto quadruplo de câmeras na traseira, chipset Qualcomm Snapdragon 870, 6 GB de RAM e display de 6,7 polegadas com taxa de atualização de 90 Hz.

Família maior, provavelmente mais confusa

Aproveitando a expansão, a Motorola deve investir em modelos variando as "unidades" de cada nomenclatura, avançando a cada geração, semelhante ao que a Samsung faz com a linha Galaxy A.

Ainda não há detalhes sobre a estratégia de vendas da companhia, mas a reconfiguração permitiria que a marca abandonasse outras letras para investir exclusivamente nas variações do Moto G. É cedo para tirar conclusões sobre a mudança, resta aguardar para conferir se, de fato, a marca repaginará sua família principal de aparelhos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: