Mercado abrirá em 3 h 4 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,68
    -0,09 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.852,40
    -2,80 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    31.850,44
    -517,85 (-1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    644,39
    -32,51 (-4,80%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.675,49
    +36,64 (+0,55%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.438,25
    -37,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Motoristas britânicos processam Uber na Holanda por uso de dados

·1 minuto de leitura
Uber

AMSTERDÃ (Reuters) - Um grupo de motoristas britânicos da Uber processou a empresa em um tribunal da Holanda nesta quarta-feira em uma tentativa de obter acesso aos dados que a empresa coleta sobre eles.

Os motoristas dizem que a Uber determina a alocação das corridas e suas tarifas com base em informações sobre seu desempenho, comportamento e outras características pessoais que coleta por meio de seu aplicativo.

Os motoristas exigem acesso total a essas informações e ao funcionamento dos algoritmos da Uber, pois dizem que são os algoritmos que determinam quanto dinheiro eles ganham e como podem melhorar.

"A Uber deve oferecer transparência total", disse o advogado Anton Ekker no Tribunal Distrital de Amsterdã, onde fica a sede internacional da empresa. "Os motoristas não recebem as informações solicitadas às quais têm direito."

A Uber disse que compartilha todas as informações necessárias com os motoristas, mas não pode fornecer mais dados para proteger a privacidade dos passageiros.

"É extremamente perigoso para a privacidade dos passageiros se compartilharmos todos os dados sobre viagens específicas", disse o advogado da Uber, Axel Arnbak.

A Uber disse que as viagens eram alocadas principalmente com base na localização dos motoristas, suas rotas e preferências de tarifas.

O tribunal decidirá sobre o assunto até 11 de fevereiro.

(Por Bart Meijer)