Mercado abrirá em 7 h 33 min
  • BOVESPA

    110.203,77
    +2.266,66 (+2,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.104,39
    +213,80 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,23
    -0,37 (-0,43%)
     
  • OURO

    1.847,40
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    37.299,38
    +913,94 (+2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    848,24
    +27,66 (+3,37%)
     
  • S&P500

    4.356,45
    -53,68 (-1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.297,73
    -66,77 (-0,19%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.283,31
    +39,70 (+0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.079,74
    -51,60 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.221,00
    +80,25 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1541
    +0,0020 (+0,03%)
     

Moto G12 deve furar a fila como próximo básico da marca

Confusão? Temos. A Motorola reorganizou a nomenclatura dos seus Moto G este ano, adotando um sistema similar ao dos Galaxy A, da Samsung, com a progressão de modelos por dezenas. Assim, o Moto G10 fica bem distante em hardware do Moto G100.

Mesmo assim, a companhia parece estar descumprindo algumas “regras”. Estamos vendo que alguns modelos já receberam atualizações, como o Moto G50 que foi melhorado em forma de Moto G51. Porém, o modelo mais básico, Moto G10, deve ir direto para o Moto G12.

Moto G10 (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G10 (Imagem: Divulgação/Motorola)

A informação é de um insider, que reitera a proposta básica do modelo. Ele contará com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno — algo que vem caindo em desuso mesmo em modelos de entrada. A Philco, por exemplo, já lançou vários celulares básicos com 128 GB.

Outros detalhes do Moto G12 incluem sua venda nas cores azul e preto. Mais informações do seu hardware ainda são desconhecidas. Mas, neste segmento, ninguém deve esperar câmeras versáteis ou performance. São modelos focados no básico, sempre apostando em preço baixo.

Menos de US$ 200

Falando em valores, o Moto G12 pode custar entre US$ 180 e US$ 200. É a faixa de preço comum, nos últimos anos, para um celular com a sua proposta. Porém, pela escassez de chips e sofisticação de recursos do mercado, não tem sido raro que alguns modelos de entrada custem um pouco mais que isso.

Um exemplo é o Galaxy A13 5G, que chama a atenção pela conectividade 5G, tela de 90 Hz e câmera de 50 MP. Mas isso custa um aumento de US$ 70 em relação ao Galaxy A12, o fazendo alcançar os US$ 250 — sem carregador ou fones na caixa.

A Motorola ainda não tem data para anunciar o Moto G12. Mas vale lembrar que falta bem pouco para o Edge 30 Ultra, que pode ser um dos primeiros smartphones anunciados com o Snapdragon 8 Gen 1.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos