Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.597,64
    -2.183,82 (-5,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    886,92
    -53,02 (-5,64%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Mostramos que podemos competir com Netflix e Amazon, diz executivo da Disney

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente-executivo do conselho da Disney, Bob Iger, afirmou nesta quarta-feira (26) que o investimento no Disney+ foi uma boa aposta para a empresa, que mostrou fôlego para competir com outras plataformas de streaming como Netflix e Amazon Prime Video.

"Wall Street apoiou a estratégia, apostamos que conseguiríamos crescer no setor de conteúdos por demanda", disse o executivo durante participação no BTG Pactual Brasil CEO Conference 2021. "Tivemos um impacto devastador em todos os negócios, principalmente os parques temáticos, mas o mercado percebeu que a relação com o usuário seguraria o baque".

O executivo, que assumiu a liderança da Disney em 2005, contou sobre sua trajetória na empresa e explicou o caminho para aquisição da Pixar, Marvel, Lucasfilm e 20th Century Fox.

A primeira aquisição da Disney sob liderança de Iger veio logo no seu primeiro ano de gestão, começando pelo estúdio de animação Pixar em um negócio de US$ 7 bilhões.

Até então o estúdio era uma joint venture com a Disney e viu as relações esfriarem ao longo dos anos. Iger foi responsável por resgatar o contato com Steve Jobs, que à época comandava a Pixar.

Confirmada a aquisição, o executivo foi para Califórnia para anunciar o negócio com Jobs. Porém, uma hora antes o executivo da Apple tentou desfazer a venda. "Ele me abraçou, confidenciou o retorno do câncer e pediu para desfazer a aquisição", diz Iger. "Do modo mais delicado possível, disse que ele era importante, mas não para o negócio".

Iger guardou a história por anos, até contá-la em seu livro "Onde os Sonhos Acontecem: Meus 15 anos como CEO da The Walt Disney Company". Segundo o executivo, só revelou a conversa após falar com a esposa de Jobs, Laurene Powell Jobs.

As outras aquisições também não foram fáceis, disse o executivo durante a conferência, mas foram essenciais para consolidar a marca Disney. Depois da Marvel, o próximo da fila foi a Lucasfilm, estúdio responsável pela saga Star Wars.

Iger afirma que George Lucas, criador do estúdio, foi relutante quanto à aquisição. "O Steve Jobs tinha comprado a Pixar do George, eles eram bem próximos, e Jobs tentou fazer a ponte, mas sem sucesso", diz. Após alguns encontros, em 2012 Iger conseguiu convencer Lucas a vender suas operações no valor de US$ 4 bilhões.

Sobre os parques temáticos da Disney, que chegou a demitir mais de 28 mil de funcionários nos EUA em 2020, existe uma perspectiva de retomada gradual.

Bob Iger também afirmou que deve deixar o conselho da empresa em janeiro de 2022 e que ainda não tem planos para o que vai fazer depois da aposentadoria da Disney.

"Preciso descansar e pensar mais, mas garanto que não me candidato à presidência dos EUA", disse o executivo em referência a um boato sobre sua carreira política. "Depois de alguns anos reconsiderei, principalmente depois que Trump virou presidente".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos