Mercado abrirá em 8 h 48 min
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,30
    +0,08 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.811,80
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    16.928,89
    -214,08 (-1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,01
    -5,14 (-1,27%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.666,72
    -69,72 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    27.679,84
    -546,24 (-1,94%)
     
  • NASDAQ

    12.016,75
    -46,00 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4607
    -0,0047 (-0,09%)
     

Kremlin prepara a festa da anexação de mais territórios da Ucrânia

Vladimir Putin formaliza esta sexta-feira a anexação de quatro zonas do leste da Ucrânia.

O processo é denunciado por Kiev, pelos aliados ocidentais e pelas Nações Unidas e até a China criticou a violação da integridade territorial de um Estado soberano, mas no Kremlin ultimam-se os preparativos para a festa, e os líderes das zonas anexadas nomeados pela Rússia já estão em Moscovo.

Kirill Stremousov, chefe adjunto da administração civil e militar de Kherson, regozija-se com a situação.

"Felicitamos todo o povo russo em todo o mundo por esta grande celebração. Conseguimos! A região de Kherson, a região de Zaporíjia, Donetsk e as repúblicas populares de Luhansk tornar-se-ão agora para sempre parte da Rússia".

Enquanto a Rússia se prepara para festejar, na Ucrânia reforça-se a convicção de que o país é indivisível e cresce a vontade de lutar pelo território.

O presidente da câmara de Kramatorsk, Oleksandr Honcharenko, faz um apelo às autoridades separatistas russas: "Por favor, não façam coisas estúpidas. Não tomem as medidas que pretendem tomar para confirmar e aceitar a anexação dos nossos territórios. O Donbass sempre foi a Ucrânia, é a Ucrânia e será sempre a Ucrânia. Lutaremos por isso".

Na rua, uma mulher afirma: "Mesmo que isto aconteça [a anexação], os nossos rapazes não nos deixarão ser conquistados, nós acreditamos na VSU [Forças Armadas Ucranianas]. Se necessário, iremos também lutar".

O presidente Zelensky convocou uma região de urgência do conselho de segurança e reclama mais ajuda aos aliados ocidentais para reaver o território do seu país.