Mercado abrirá em 8 h 38 min
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,32
    -0,04 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.835,70
    +5,80 (+0,32%)
     
  • BTC-USD

    36.640,64
    -298,96 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    719,84
    -15,30 (-2,08%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    29.514,96
    +652,19 (+2,26%)
     
  • NIKKEI

    28.603,85
    +361,64 (+1,28%)
     
  • NASDAQ

    12.890,00
    +87,75 (+0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4060
    +0,0107 (+0,17%)
     

Morte de Maradona: Líder de organizada do Boca vai a velório privado na Casa Rosada

·1 minuto de leitura
Foto: Reprodução TV

O velório íntimo de Diego Maradona, na Casa Rosada, restrito a amigos e familiares, contou com a presença do líder das barras do Boca Juniors, Rafael Di Zeo.

Ele foi liberado para ingressar no local por autoridades de segurança, e entrou junto com dois integrantes da primeira linha da facção do clube argentino.

O restante da torcida ficou do lado de fora no aguardo da autorização para o público. Di Zeo entrou por volta de 2h, enquanto a entrada para os fãs ocorreu 6h.

Di Zeo havia acompanhado Diego, então treinador de Gimnasia de La Plata, em sua última visita a La Bombonera, estádio do Boca, no dia 7 de março.

A facção xeneize chegou nesta quarta-feira por volta da meia-noite na Plaza de Mayo, onde assumiu a cena com tambores e trombetas. Eles cantaram todos os tipos de canções em homenagem ao "Diez".

Além da família, estiveram presentes os campeões mundiais em 1986 Oscar Ruggeri, Sergio Batista, Jorge Burruchaga, Ricardo Giusti, Oscar Garré e Carlos "Chino" Tapia.

Também compareceram jogadores da atual geração, como Carlos Tévez, Mascherano, Maxí Rodríguez, Jorge Burruchaga e Martín Palermo. Os jogadores do Boca haviam retornado do Brasil depois do adiamento da partida contra o Internacional, pela Libertadores.