Mercado fechará em 6 h 18 min
  • BOVESPA

    129.629,97
    +116,35 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,68
    +0,38 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.788,70
    +12,00 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    32.891,24
    -1.060,48 (-3,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    787,75
    -54,90 (-6,51%)
     
  • S&P500

    4.275,32
    +8,83 (+0,21%)
     
  • DOW JONES

    34.342,67
    +145,85 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.133,10
    +23,13 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.377,50
    +23,25 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8784
    +0,0161 (+0,27%)
     

Morre aos 97 anos o ex-deputado federal Camilo Cola, fundador da Itapemirim

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O empresário e ex-deputado federal Camilo Cola, fundador da Viação Itapemirim, morreu neste sábado (29), aos 97 anos, de causas naturais, em Cachoeiro de Itapemirim (ES).

A prefeitura do município e o governo do Espírito Santo decretaram luto oficial por três dias.

A diretoria da Itapemirim divulgou nota de pesar na qual afirma que, além de fundador da viação que deu origem ao grupo, Camilo Cola foi visionário, empreendedor e líder em "inúmeras iniciativas empresariais, que deixaram um legado de desenvolvimento ao Brasil."

Cola foi deputado por dois mandatos, entre 2007 e 2015, ambos pelo PMDB (hoje MDB) e era pracinha, como ficaram conhecidos os militares brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial.

Filho de imigrantes italianos de origem pobre, Camilo Cola trabalhou como agricultor e lavador de carros. Em 1944, foi enviado para a Itália com a Força Expedicionária Brasileira.

Quando voltou da Europa, tomou um empréstimo, por meio de uma linha especial para ex-combatentes, e comprou um caminhão, dando início ao negócio que o levaria à criação da Viação Itapemirim.

Em publicação em sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) agradeceu Cola por “garantir nossa liberdade na luta contra o nazismo e fascismo” e citou sua participação na “tomada de Monte Castello”, em fevereiro de 1945, na Itália, quando brasileiros lutaram para conter o avanço alemão.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, também lamentou, na mesma rede social, a morte de Camilo Cola, a quem chamou de visionário e um dos responsáveis pela profissionalização do transporte no Brasil.

Em novembro de 2020, Cola recebeu de Tarcísio a Medalha do Mérito Mauá, criada em 1999 para dar reconhecimento público aos que tenham contribuído para o desenvolvimento do setor de transportes.

Políticos capibaxas também publicaram condolências à família do empresário e ex-parlamentar.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, afirmou em seu Twitter que Cola era um apaixonado pela política. "Um dos maiores empreendedores do Brasil, que mesmo com o avançar da idade, sempre fez planos para o futuro."

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) disse que Camilo Cola deixa um legado de liderança e inspiração a novas gerações. Evair de Melo (PP-ES), deputado federal, afirmou que o empresário era um "capixaba de 1ª grandeza" e que era "amigo, conselheiro e sempre incentivador".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos