Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    46.296,27
    +9,70 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Moro pediu ajuda à Lava Jato quando já era ministro, apontam mensagens

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Former Brazil's Justice Minister Sergio Moro arrives at a hotel after a meeting in the Federal Police headquarters, in Brasilia, Brazil May 12, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Former Brazil's Justice Minister Sergio Moro arrives at a hotel after a meeting in the Federal Police headquarters, in Brasilia, Brazil May 12, 2020. REUTERS/Adriano Machado

O ex-juiz Sergio Moro já estava no governo de Jair Bolsonaro quando pediu informações sobre acordos de cooperação internacional entre Brasil e outros países ao então procurador e chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol. As informações são do UOL.

Esse pedido foi feito por um aplicativo de mensagens às vésperas da participação de Moro num debate sobre corrupção e uso da tecnologia no Fórum Econômico Mundial, em Davos, em 2019.

A mensagem é a seguinte:

Moro: 'Estarei em Davos na semana, pode me dizer sucintamente com quais países ainda temos dificuldade com cooperação, Hong Kong por exemplo forneceu aquelas provas?'. Vc descobre e me passa por favor?"

A prática em si não é ilegal, mas mostra como era próximos os dois. Ainda segundo o UOL, ex-ministros da Justiça entenderam que Moro buscou esse tipo de informação de forma inadequada, já que o próprio ministério tem um órgão que trata de cooperação internacional. Esse pedido de Moro, a propósito, está na perícia contratada pela defesa do ex-presidente Lula.

Nesta terça, o STF manteve a decisão do ministro Ricardo Lewandowski de permitir o acesso da defesa do petista aos diálogos entre Moro e a força-tarefa de Curitiba.