Mercado abrirá em 3 mins
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,13
    +1,56 (+1,42%)
     
  • OURO

    1.824,10
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.976,50
    -209,56 (-0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    458,73
    -3,06 (-0,66%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.348,93
    +90,61 (+1,25%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.066,00
    +25,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4734
    -0,0707 (-1,28%)
     

Morgan Stanley vê alta em ações na América Latina até meados de 2023, mas com volatilidade

SÃO PAULO (Reuters) - Estrategistas do Morgan Stanley enxergam espaço para alta das ações na América Latina até meados de 2023, mas com volatilidade, conforme relatório a clientes no final da segunda-feira, no qual afirmam estar 'overweight' em Brasil e Chile na região, 'neutro' em Peru e 'underweight' em México, Colômbia e Argentina.

Os analistas veem três pontos-chave afetando o movimento das ações latino-americanas. Para eles, a região fez sua "lição de casa" no que diz respeito a aperto monetário, ou pelo menos fez muito mais progresso do que outros países emergentes e desenvolvidos.

Além disso, pontuaram, a China deve implantar um estímulo anticíclico de forma mais agressiva em 2023 e as ações dos mercados emergentes - e principalmente da América Latina - devem se sair muito bem em 2023 se houver uma "redefinição do ciclo global completo" no segundo semestre de 2022.

Os analistas estimam o MSCI América Latina em 2.600 pontos em meados de 2023, mas aguardam manutenção da volatilidade das ações na região nos próximos meses. Na véspera, o índice fechou a 2.414,74 pontos.

"Os ganhos de ações regionais provavelmente dependerão do cenário macroeconômico global, do nível de incerteza política e macro política doméstica e de um potencial ciclo de flexibilização monetária em 2023."

"Enquanto isso, os investidores terão que gerenciar proativamente os riscos negativos associados a potenciais notícias de manifestações sociais em períodos eleitorais."

No caso específico de Brasil, a equipe liderada por Guilherme Paiva afirma gostar de ações de empresas voltadas para o mercado doméstico que devem se beneficiar de menor incerteza política no segundo semestre de 2022 e corte de juros em 2023.

Para o Ibovespa, o Morgan Stanley trabalha com uma projeção de 130 mil pontos em meados do próximo ano, o que representa uma valorização de cerca de 18% frente ao patamar do fechamento da segunda-feira, em reais.

(Por Paula Arend Laier; edição de André Romani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos